Gama Cidadão | O Seu Portal de Notícias e Cidadania

Ter01172017

Last updateSeg, 16 Jan 2017 5pm

Portuguese Arabic English French German Japanese Spanish

Terreno no Gama é substituído por outros três para recompor fundo do Iprev

Área fazia parte do total de 108 imóveis a serem doados e desapropriados, conforme sugerido em projetos de lei. Instituto reverteu parte do superávit de 2015 para manutenção do Fundo Financeiro

Reunião com o governador Rollemberg discutiu a recomposição do Iprev. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Um terreno no Gama foi substituído por outros três — em Águas Claras, no Jockey Club e no Setor Noroeste — como parte da recomposição do patrimônio do Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal (Iprev-DF).  A área fazia parte de um total de 108 imóveis a serem doados e desapropriados, conforme sugerido em dois projetos de lei enviados à Câmara Legislativa em 12 de setembro.

 

A troca foi proposta pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg em reunião no Palácio do Buritinesta segunda-feira (3). “Faremos a recomposição do superávit utilizado no ano passado com terrenos bem localizados e valorizados, que vão garantir a saúde financeira do Iprev”, explicou.

A área no Noroeste inclui quatros lotes comerciais no valor de R$ 24,49 milhões. A de Águas Claras é um terreno de R$ 21,6 milhões. Já a do Jockey Club é uma gleba de R$ 147 milhões. A soma dos três imóveis equivale a R$ 193,09 milhões. O valor final de todos os imóveis que serão incorporados ao patrimônio do Iprev é de R$ 1,3 bilhão. Setenta e dois deles serão doados pelaAgência de Desenvolvimento do DF (Terracap).

“A avaliação é que os terrenos que o governador apresentou agora têm maior liquidez e apelo comercial. Eles são mais interessantes para o Iprev”, disse o diretor presidente do instituto, Adler Anaximandro, que participou da reunião.

A recomposição é prevista na Lei Complementar nº 899, de 30 de setembro de 2015, que autorizou o Iprev-DF, temporariamente, a reverter parte do superávit do Fundo Previdenciário do DF para a manutenção do Fundo Financeiro. Com atransferência entre fundos, o governo de Brasília pôde contar com R$ 1,2 bilhão, de outubro de 2015 a janeiro deste ano, para pagar os salários dos servidores em dia.

Agência Brasília - 3/10/16 ATUALIZADO EM 3/10/16 ÀS 20:59

Sebrae faz mutirão para estimular empresas a se formalizarem no Gama

A 2ª edição do Mutirão da Simplificação começa nesta segunda-feira (3/10) e vai até sábado (8), ao lado da Rodoviária Setor Central

Portal Metrópoles - 03/10/2016 10:55

Quem já tem o seu pequeno negócio ou quer formalizar uma atividade que ainda não está legalizada não pode perder a  2ª edição do Mutirão da Simplificação, que começa nesta segunda-feira (3/10) e vai até sábado (8), no Gama. A iniciativa é do Sebrae-DF e tem o objetivo de aumentar o número de estabelecimentos licenciados, além de oferecer atendimento no local de moradia e trabalho dos empresários. A região administrativa conta com 4.434 empresas (dados de 2015), sendo 3.844 de micro e pequenos empreendedores.

Nos seis dias do mutirão, além de orientação individualizada sobre os procedimentos de registro, licenciamento e baixa de empresas, o público terá a oportunidade de participar de oficinas e palestras sobre empreendedorismo e gestão. Haverá, ainda, informação sobre acesso a serviços financeiros, atendimento ao cliente, controle gerencial, obrigações tributárias, legislação, coaching e precificação.

“Não basta estar preparado, não basta aparecer a oportunidade da vida, o empreendedor precisa estar legal na sua atividade. Assim, ele unirá sua vocação ao interesse do mercado, mas com as validação do Estado”, destaca o diretor-superintendente do Sebrae-DF, Antônio Valdir Oliveira Filho. Nesse processo, o Mutirão da Simplificação tem como foco de atendimento, microempresas, empresas de pequeno porte e potenciais empresários.

O mutirão ocorre no estacionamento ao lado da Rodoviária Setor Central do Gama. O modelo de ação descentralizada percorrerá diversas regiões administrativas no Distrito Federal.

“Esperamos a participação em massa dos empresários do Gama e região, assim como ocorreu em Ceilândia, onde fizemos o primeiro Mutirão da Simplificação, que foi um sucesso em termos de atendimento e resultados”, ressalta Rodrigo de Oliveira Sá, gerente da Unidade de Políticas Públicas e Desenvolvimento Territorial (UPPDT) do Sebrae.

As inscrições para as palestras e outras informações estão disponíveis no site da instituição ou na Central de Atendimento do Sebrae (0800 570 0800).

Mutirão da Simplificação do Sebrae no Gama

A Rede Nacional de Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (REDESIMPLES) do Distrito Federal, que tem objetivo melhorar o ambiente de negócios para os empreendedores locais e aqueles de outras Unidades da Federação que desejam investir no DF, implementou o Sistema de Registro e Licenciamento de Empresa (RLE), que busca facilitar o processo de abertura, licenciamento e regularização de empresas existentes, de forma que simplificada e segura, na filosofia que quem circula é a informação e não o cidadão.

É possível fazer todo o processo sem sair de casa ou do escritório. O Sistema RLE inclui ainda, o processo de fechamento da empresa em caso de encerramento da atividade empresarial, de forma simplificada, também.O licenciamento de empresa nova ou existente transita pelos órgãos de registro e licenciamento via Sistema, sem que o empreendedor precise ir a cada um deles e abrir um processo administrativo. Pensando nos pequenos negócios, o Sebrae no DF em parceria com o Governo do Distrito Federal, traz para a Região Administrativa do Gama uma programação composta por palestras, oficinas, seminário e orientações empresariais, bem como a disseminação do Sistema RLE. O público alvo será composto por micro e pequenos empresários.

O Governador Rodrigo Rollemberg e do Presidente do Sebrae Nacional Afif Domingos, confirmaram presença.

Data: A abertura oficial será dia 4 de outubro
Local: Setor Central, Estacionamento ao lado da rodoviária do Gama.
Horário: A partir das 11h

Falta de manutenção programada em bueiros e tampa da grelha deixa moradores revoltados

Segundo os moradores, o problema se repete sempre próximos as chuvas.


Em frente a drogaria Farmácia Popular, na comercial da quadra 02 do Setor Sul do Gama


Com a chegada do período de chuvas, os moradores da cidade do Gama, ficam apreensivos. Segundo eles, a preocupação se deve às enchentes que sempre ocorrem no pistão sul.

Os moradores afirmam que falta manutenção nos bueiros e tampa da grelha para ajudar no escoamento da água. Além disso, pessoas da região descartam lixo em uma área de mato.

Os comerciantes da Qd 02 do Setor Sul Gama, estão vendo a hora alguém se machuca ao cair nesses buracos, em frente a drogaria Farmácia Popular.

O Amador Teodoro, que mora na Qd 13 do Setor Sul, conta que o seu filho já procurou a administração regional e já fez várias reclamações do mau cheiro e o bueiro fica na frente de sua casa.

Lisvone Fontes, outro morador da Qd 13 do mesmo Setor, também já fez várias reclamações nos grupos do WhatsApp e até disse que já falou com a administradora sobre os problemas.   

Outro problema conhecido na cidade é na Qd 11 do Setor Sul, casa já foram invadidas pela água diversas vezes, além de muita sujeita que é trazida pela enxurrada. “A água vem trazendo sujeira e até animal morto. Vem tudo para as nossas casas”, diz liderança comunitária Josemberque

 


Quadra 13 é a ultima quadra ao Sul da cidade, localizada na parte baixa próximo a Prainha


Quadra 13 ao lado da Escola Classe 29 do Setor Sul


Quadra 11 também é uma das ultima quadra ao Sul da cidade, localizada na parte baixa

Cine Itapuã, no Gama, será revitalizado

A licitação, prevista para 2017, tem como objetivo promover e estruturar a produção cultural da cidade

Da Redação da Revista Encontro do Correio Brazilense - 26/09/2016 10:00Atualização:26/09/2016 10:20

Licitação para a revitalização do Centro Cultural Itapuã, no Gama, deve acontecer em 2017, segundo a Administração Regional da cidade

Fechado desde 2005, o Cine Itapuã, no Gama, aguarda licitação para ser revitalizado. O antigo cinema, que já foi o segundo maior do Distrito Federal, tem capacidade  para 500 pessoas e recebia apresentações teatrais e shows nos anos 80. Fundado em 1961, o cinema era referência na cidade de quase 150 mil habitantes, e que não possui outro espaço cinematográfico. Após o fechamento do Cine, aconteceram diversas tentativas de revitalização do local que, atualmente, está com a estrutura, vidraças e cadeiras danificadas. "O Cine Itapuã foi o espaço mais importante do Gama e um dos mais simbólicos do DF. Os grandes filmes da época passavam aqui", conta a administradora regional, Maria Antônia Rodrigues. Com a promessa de reabertura, o edifício passou a se chamar Centro Cultural Itapuã.
 
Segundo o diretor de desenvolvimento e gestão do território da região administrativa, Roque Lane Fonseca, um projeto de reforma está sendo finalizado e a licitação está prevista para começar no início de 2017. A ideia é que o novo centro cultural atenda um público maior, não só dedicado ao cinema. "Vamos contemplar também o pessoal das artes plásticas, do teatro, da dança e da música", explica o diretor. Para os gestores, a revitalização do cinema torna a cultura mais democrática. "O que nos motiva a lutar, para que o Cine volte a funcionar o mais rápido possível, é ver que a nossa cidade atrai cultura de vários estilos", enfatiza Maria Antônia. 
 
 
 
"A cidade respira cultura. Aqui existem diversos movimentos culturais que necessitam de um espaço para divulgar sua arte", destaca a Administradora Regional do Gama, Maria Antônia
 
A administradora destaca ainda que, devido uma população flutuante - vinda de regiões como Santa Maria, Novo Gama (GO), Valparaíso (GO) e Cidade Ocidental (GO), por exemplo - o movimento artístico tende a crescer. "Um dos nossos objetivos é atrair para cá também o pessoal de cidades próximas que queiram usar o espaço para manifestações artísticas e que venham ver as produções", completa. 
 
 
 
 
"Vamos contemplar também o pessoal das artes plásticas, do teatro, da dança e da música", explica o diretor de desenvolvimento e gestão do território da Administração Regional do Gama, Roque Lane Fonseca (esq), ao lado da administradora Maria Antônia
 
O professor de audiovisual da faculdade Estácio, Thiago Maroca, comenta que o lugar é uma oportunidade para movimentar a cultura local e abordar temas relacionados com a comunidade. "O Gama tem muitos artistas que dificilmente sobrevivem na cidade. Com a falta de locais para a exibição dos trabalhos, os artistas acabam indo realizar os projetos no Plano Piloto", destaca. Thiago acredita que a reativação do Centro Cultural ajuda a fomentar as produções locais. "Nós temos uma característica de uma cidade que produz muita coisa cultural, mas com poucos espaços. O Gama é um local que tem uma identidade própria e com vários grupos na cidade", afirma. 

Além disso, Thiago vê com bons olhos o crescimento do audiovisual na capital federal. "A cidade tem ótimos cineastas que fizeram bons filmes. Eles utilizaram Brasília como plano de fundo para as produções. Mas é preciso explorar e levar isso para as regiões administrativas, que ainda necessitam desse tipo de conteúdo", lembra. 
 
 
 
 
"Qualquer tipo de evento que promova os produtos da cidade é válida", conta o professor de audiovisual da Faculdade Estácio, Thiago Maroca

O professor explica que realizar oficinas em conjunto com as escolas pode ser o diferencial para a manter o Cine em funcionamento: "Imagine o valor simbólico para um garoto, que vê um filme que ele fez passar em uma tela gigante, vai deixá-lo radiante. Ocupar o espaço com algo que você mesmo produziu te faz sentir uma pessoa valorizada", exalta Thiago. 

O professor diz ainda que mesmo que seja um cinema, o lugar não precisa ser necessariamente usado só para esse fim. "Qualquer tipo de evento que promova os produtos da cidade é válida, pois nós temos condições e mão de obra para isso", explica. 
 
 
 
 
Projeto para a revitalização do Centro Cultural Itapuã, no Gama, ficará pronto no final do semestre

Reforma
Para a realização da reforma, a Administração Regional do Gama teve que desmembrar  o projeto do complexo cultural, que envolve também a praça Lorival Bandeira. As obras serão executadas em etapas, com a entrega da praça e depois do Centro Cultural Itapuã. "Foi necessário esse desmembramento para poder agilizar a revitalização do complexo. Sem isso, não seria viável fazer esse projeto com o orçamento anual que disponibilizamos", conta Maria Antônia. "A Novacap vai fazer a parte de execução. Com a ajuda deles será possível realizar essa obra, que há muito tempo era solicitada pela população", conclui Roque Lane. 

Casa de Cultura do Gama
A administração regional do Gama também já está trabalhando em um projeto para criar a Casa de Cultura e fomentar a produção cultural na cidade. O ambiente irá abrigar várias atividades artísticas como: exposições, peças teatrais, espetáculos de dança, exibição de trabalhos audiovisuais, entre outros. A sede será em um espaço de 2.400 metros, no Setor Central. "Estamos fazendo um levantamento para que possamos realizar a abertura do edital ainda em 2017. O local será necessário para reunir os diversos grupos existentes na cidade e difundir os eventos que já existem aqui", informa Maria Antônia.
 

 

Administração Regional do Gama já trabalha com o projeto para criação da Casa de Cultura da região

Parque da Cidade recebe caminhada em apoio ao setembro amarelo

Jéssica Antunes
Da Redação do jornal de brasília - 26/09/2016

Mobilização no Parque da Cidade abordou a questão do suicídio (Foto: Mike Sena)

É preciso falar para conhecer, enfrentar, tratar e evitar. A última semana do mês começou com um ato pela prevenção ao suicídio como parte do Setembro Amarelo, que prevê desmistificar o tema tabu, mostrar o problema à sociedade e chamar a atenção para a importância de debater o assunto. O JBr. já mostrou que, a cada mês, dez pessoas se matam no DF.

Cerca de 300 pessoas fizeram uma caminhada, ontem, no Parque da Cidade. Tudo organizado pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Psiquiátrica de Brasília (APBr) para chamar a atenção da população para o tema. Foi o que explicou Carlos Guilherme Figueiredo, presidente da entidade brasiliense.

De acordo com o psiquiatra, transtornos de humor e abuso de substância são as principais causas que levam ao suicídio ao redor do mundo. “Temos que informar para prevenir. Toda a comunidade de saúde deve ser capacitada”, acredita. Identificar e tratar os transtornos são, para ele, as prevenções, e qualquer alteração de comportamento deve ser investigada.

Hoje são registrados cerca de dez mil suicídios no Brasil e mais de um milhão no mundo. Em mais de 96% dos casos, explica o especialista, caberia um diagnóstico de transtorno mental. Os mais comuns são depressão, bipolaridade e transtornos decorrentes de dependência química e alcoólica.

O Exército participou da caminhada. “Nada é mais importante do que a vida. O suicídio é um problema que precisa ser abordado”, disse o general Teixeira.

Saiba mais

Tramita na Câmara dos Deputados uma proposta de instituição da Semana Nacional de Valorização da Vida. A iniciativa prevê a promoção do debate, da reflexão e da conscientização sobre essa temática na sociedade.

Família procura menina de 11 anos que desapareceu após deixar escola

Jornal de Brasília - 25/09/2016

A 26ª Delegacia de Polícia, em Samambaia Norte, investiga o desaparecimento de uma menina de 11 anos. Segundo a família, Maria Julia de Assis Massioletti saiu uniformizada na manhã de sábado (24) para a Escola Classe 407, onde fez uma prova, e não foi mais vista.
A menina não tem celular e costuma ir à escola sozinha pela proximidade com a residência, contou ao Jornal de Brasília o pai, Alexandre Jose De Assis.

Há mais de 24 horas, ele procura pela filha. Denúncias anônimas de paradeiro chegam, mas nada foi comprovado até a manhã deste domingo (25). As buscas continuam na região da escola, da cidade, e até em outras regiões administrativas.

"Gente essa e a maria julia ela esta dezaparecida quem ver ela por ai me liga ela saiu hj de casa pra ir na escola fazer uma prova ate agora nao voltou pra casa se ver ela por ai .me chama no telefone 98594-8373"

“Ela chegou até o colégio e soube que umas amigas a induziram a deixar a escola. Desde ontem estamos procurando. Já fizemos cartazes, pedidos de ajuda. Já estivemos nas casas das colegas e não temos notícias. Nem conseguimos dormir”, desabafou o pai, que descobriu que a menina, do 4º ano do Ensino Fundamental, vinha matando aula há algum tempo.

Tia de Maria Julia, Merivalda de Assis diz que é inevitável pensar no pior: “Tem um matagal próximo a escola e estamos nos reunindo para procurar por ela. A polícia já disse que vai fazer buscas e verificar se há câmeras. Quanto mais gente mobilizada, melhor”.

A família pede que qualquer informação seja repassada pelos telefones (61) 9 8594-8373 ou 3359-5849.

Saiba mais

Segundo o Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Desaparecidos, elaborado pela Secretaria de Direitos Humanos, 28 crianças e adolescentes com até 18 anos estão desaparecidas no DF.

São 13 meninos e 15 meninas que sumiram na capital do país. Estimativas da Secretaria de Segurança Pública dão conta de nove casos diários.
Fim da conversa no bate-papo

 

 

Virada Cultural no Planalto Central

O Clube Vizinhança da Vila Planalto recebeu, nesta sexta e sábado (16 e 17), a "Vila, Virada Cultural", ações de mobilização e transformação comunitária foram realizadas na praça Nelson Corso. O evento ao ar livre contou com apresentações musicais, ações ecológicas e sociais, voltadas para o público adulto e infantil. A programação inclui teatro, exposições de artesanato, moda, feiras de alimento, gincanas, troca de livro na Banca de Poetas, oficinas e apresentações musicais.

“Para nós, responsáveis pela Banca de Poetas, foi uma alegria enorme sermos convidados a participar da programação da virada cultura da Vila Planalto. Reduto de pioneiros, esse bairro bucólico guarda segredos que gostaria de divulgar. Por ali passaram muitas pessoas que hoje vivem em outros endereços da capital, mas que nunca esquecem a terra vermelha de onde Brasília deu seus primeiros passos”, disse José Garcia, o Dedé

Joãozinho da Vila, como é conhecido o nosso querido amigo organizador dessa festa, não se intimidou com as dificuldades de sempre e mandou ver! Convidou amigos, fez parcerias e cumpriu à risca tudo aquilo que ouvimos durante o lançamento do Edital do FAC que diz respeito à ocupação de praças, vias públicas e espaços em desuso. Foi da boca da Senhora Marcia Rollemberg que os participantes do evento de lançamento do edital ouviram essa sugestão: atuar em parceria com as embaixadas, desenvolver programas de Rádios comunitárias e, principalmente, ocupar as praças.

Quiséramos que cada um fizesse como o poeta Joãozinho da Vila. Ao convidar a Banca de Poetas Joãozinho foi enfático: durante o dia no chão com as crianças e à noite no palco com os poetas botando Banca! Assim seguimos à risca as ordens do patrão. Montamos o cenário e aos poucos fomos recebendo os convivas para a troca de saberes por via do livro. A velha e boa troca de livros não demorou a concretizar-se. Foi o poeta e jornalista Pedro Batista que inaugurou o certame com uma troca mais do que justa. Trocou uma obra de sua autoria pela obra de um autor chileno e saiu todo feliz para o deleite de um leitor exigente, sem gastar um tostão. O varal poético também não faltou com a presença. É o momento Bashô! Crianças e adultos todos juntos por uma tarde de leitura e comunhão, atores da companhia Mapati visitaram o picadeiro para uma foto de recordação. Mal sabiam, que assim, entrariam para a história do Teatro Literário.

A Cia. Teatral Mapati tirou muitas gargalhadas da plateia no final de tarde com um dos seus espetáculos de maior sucesso, O Mágico de Oz. Com narrativa em cordel, a versão da Companhia exibe figurino com tonalidade da cultura popular, com trilha original e concebida especialmente para a montagem. E assim foi até a boca da noite quando subimos ao palco. Banca de Poetas e o pessoal do Celeiro Literário para mais uma etapa da virada cultural da Vila Planalto. Na arena principal, José Garcia Caianno, Cumpade Ancelmo, Paulinho de Olinda, a Poetisa Seira Beira e o poeta Rego Junior que aproveitou a ocasião para divulgar seu livro Rigoto das Palavras. O Celeiro  Literário subiu ao palco representado por Ronaldo Mousinho Elias Antunes e o Poeta Ismar Lemes de Abreu. Entre as atrações estão Célia Porto e Rênio Quintas, Renato Matos, Zenn, Cia. Mapati, Geraldo Carvalho e o projeto Samba Móvel.

 

Galeria de fotos. Clique aqui! 

Da Redação do portal Gama Cidadão 

Brasília Maria morreu. Brasília - DF está na UTI

Brasília Maria nasceu em 21 de abril de 1960. Brasília – DF também

POR CHICO SANT'ANNA - 17/09/2016 - 20:52:23
 

Brasília – DF representava a nova utopia brasileira. A Capital da Esperança. Brasília Maria, ao ser batizada assim, personificou a imagem de um novo futuro para toda uma geração: a verdadeira geração Brasília.

Aos 56 anos, a filha de Brasília – DF, Brasília Maria, morreu dia 10. Morreu pobre, sem condições mesmo de custear o tratamento de sua própria saúde. Morava numa casa humilde, marcada pela impossibilidade de investir em mais conforto e qualidade de vida. Brasília Maria morreu porque a nova utopia brasileira ainda não aconteceu. Brasília Maria morreu porque Brasília-DF, aos 56 anos, está moribunda, sem capacidade de reação, quase que com falência geral dos órgãos. Dos órgãos públicos que deveriam estar funcionando pelo bem estar da população.

Brasília Maria morreu como centenas de brasilienses morrem rotineiramente. Brasília-DF não lhe assegurou internação em UTI. E Brasília Maria deixou Brasília-DF prematuramente em decorrência de parada cardiorrespiratória. A Saúde de Brasília-DF está à beira da morte, morte que Brasília Maria já foi vítima.

Brasília-DF vive os piores de seus dias. A Saúde é caso, literalmente, de polícia. A Educação não passou de ano e o boletim emitido pelo Ministério da Educação deu nota vermelha ao ensino, público e privado, da Capital Federal. Nessa realidade de Educação claudicante, Brasília-DF deixa crescer abertamente o trabalho infantil.

O meio-ambiente, assim como fez Brasília Maria, pede socorro. Mas ninguém escuta. Não há coleta seletiva de lixo. Dois, em cada três parques ambientais de Brasília-DF, só existem no papel, não estão constituídos. Faz-se necessária uma ação contundente contra os grileiros que continuam, sem qualquer vergonha, fracionando e comercializando irregularmente pedaços de Brasília-DF. A crise hídrica já é uma realidade.

Na Segurança Pública, polícias Civil e Militar, em vez de prender os vilões e garantir a cidade, preferem brigar entre si. Aumentam as estatísticas de criminalidade, mas Brasília-DF não consegue montar um plano de ação policial conjunta para garantir a segurança de seus filhos. Falta planejamento. Falta comando.

Na mobilidade urbana, o sofrimento não é diferente. Há mais de uma década Brasília-DF não ganha um centímetro de metrô. VLT? Esse nem falar. Resultado, ônibus e vias superlotadas e as lotações voltando descaradamente.

Brasília-DF não tem dinheiro para recuperar seus espaços culturais públicos, mas consegue verba para apoiar duvidosos projetos culturais privados à beira do Lago. Ou mesmo alugar o Mané Garrincha ao custo de R$ 0,30 o assento.

A falta de gestões competentes deixou que Brasília Maria morresse. Morreu sem amparo da Brasília-DF.

Quantas Brasília Maria precisarão morrer ainda para que essa realidade mude? Para que acabe a roubalheira e os desmandos no interior de nossa classe política? Para que tenhamos gestores mais eficientes e menos demagogos.

Quantas Brasília Maria precisarão morrer para que a profecia de Dom Bosco se concretize e Brasília-DF seja efetivamente o “berço de uma nova civilização de impressionar o mundo” e não o exemplo de uma civilização que deixa morrer seus frutos por falta de ação e incapacidade de gestão pública?

PJ de São Sebastião conta com brinquedoteca para receber filhos de cidadãos que procuram atendimento

MPDFT - 16/09/2016

No início do mês ficou pronta a brinquedoteca da Promotoria de Justiça de São Sebastião, organizada para receber os filhos dos cidadãos que procuram o Ministério Público e das vítimas de violência doméstica atendidas no local. Membros e servidores se uniram para comprar material e doar itens como livros infantis e brinquedos. A instituição Promovida, que oferece programa educativo, cultural e pastoral a mais de 200 crianças da região, também contribuiu com doações para o espaço.

A promotora de Justiça Andrea Cirineo, uma das idealizadoras da brinquedoteca, explica que a iniciativa é mais um passo do Ministério Público para se aproximar da sociedade. “Queremos ser uma referência para os cidadãos em todos os sentidos”, completou. Segundo a promotora, um local destinado às crianças vai tornar o acolhimento das mulheres mais produtivo, pois elas terão um tempo de qualidade, sem se preocupar com os pequenos, para trabalhar a autoestima, o engrandecimento pessoal e as perspectivas de futuro, deixando o passado para trás.

Em 30 de setembro, será realizada palestra voltada para mulheres em parceria com a Divisão de Promoção da Saúde (Dipres) do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), a primeira com o espaço em funcionamento. Duas voluntárias da Promovida estarão no local para auxiliar nos cuidados com as crianças. Para outubro, os integrantes da Promotoria estão preparando uma grande festa para receber as crianças da instituição parceira e de outras entidades.

Como os Aplicativos Invadem sua Privacidade

 

Uma pesquisa feita pela Nokia e levantada pela equipe de Combo Multi Net aponta que nos dias de hoje, olhamos nossos celulares mais de 150 vezes por dia. Os smartphones se tornaram um item indispensável e reúnem quase tudo que precisamos para sobreviver ao dia, mas será que estamos tão seguros com eles quanto imaginamos?

Brasileiros passam em média, cerca de 3 horas por dia navegando nos mais diversos apps de celulares e tablets, dizem especialistas da área de tecnologia, mostrando ainda que 75 bilhões de aplicativos foram baixados só em 2015.

No meio de tantos aplicativos, existem aqueles que não são tão confiáveis e que podem acabar prejudicando a vida dos usuários. Confira 4 pontos aos quais você deve ficar atento pra não acabar sendo prejudicado:

  

4 Pontos que Você Deve Ficar Atento

 

Aplicativos: Apesar de parecerem inofensivos, grande parte dos aplicativos podem funcionar como porta de entrada para hackers. Essas vulnerabilidades podem dar acesso aos sensores do seu celular. Isso acontece com qualquer tipo de aplicativo, inclusive os pagos.

Hardware: Cybercriminosos podem ganhar acesso ao seu celular, se aproveitando de falhas no firmware - um conjunto de instruções operacionais, que permitirão o correto funcionamento de um aparelho.

Rede: Tenha muito cuidado com redes públicas. Os servidores não são tão fortes e podem facilmente ser invadidos, deixando vulnerável qualquer um que esteja ligado ao sinal.

Sistema Operacional: Algumas pessoas optam por fazer um jailbreak (modificar o código padrão do celular, para poder baixar apps não oficiais). Mas aplicativos obtidos dessa maneira podem ser muito perigosos e hackers podem se aproveitar de falhas na segurança causadas pelo Jailbreak.


Riscos Relacionados aos Aplicativos

 

Nem todos os desenvolvedores trabalham com ética. Alguns podem não se dedicar tanto a segurança e acabar dando oportunidade a criminosos de rastrear seu celular ou ter acesso a informações e senhas importantes. Outros podem vender informações sem a sua autorização, lucrando em cima do seu prejuízo.

De acordo com a Appthority, 83% dos 100 aplicativos mais populares estão associados com riscos de segurança e invasão de privacidade. A grande maioria está entre os aplicativos gratuitos:  95% dos apps gratuitos apresentam algum comportamento de risco. Os aplicativos pagos não ficam muito atrás, 78% oferecem riscos.

Biblioteca de Anúncios

Para usar um aplicativo gratuitamente, é normal sermos obrigados a lidar com uma centena de anúncios, mas as vezes não é só a nossa atenção que os anunciantes querem.

Algumas bibliotecas de anúncios recebem as mesmas permissões que damos ao aplicativo, dando a empresas terceirizadas acesso as nossas informações. Os anunciantes podem obter até o número de seu telefone, e-mail, localização e histórico de ligações.

Confira as políticas de privacidade dos aplicativos e das redes sociais, neles você encontra quais informações as empresas recebem sobre você, e não deixe de denunciar caso sinta que alguma seja invasiva.


Encontre Equilíbrio



 É ilusão achar que seu celular é 100% seguro, mas tomando algumas precauções as chances de alguém invadir sua privacidade se tornam bem menores.

Evite baixar aplicativos que não sejam da loja original do seu celular, procure desenvolvedores confiáveis e com boa reputação, e sempre mantenha seus aplicativos atualizados, mesmo que não mude nada na aparência, as atualizações quase sempre trazem pequenas correções em brechas de segurança.

Se um aplicativo pede muitas permissões, principalmente se elas não fizerem sentido (por exemplo, se um jogo pedir acesso a sua localização), fique atento, só aceite se você realmente se sentir seguro e confiar na desenvolvedora do aplicativo.

Quando baixar aplicativos de comunicação, escolha aqueles com criptografia, que deixa a privacidade do usuário protegida de táticas de vigilância em massa, impede que as suas conversas fiquem salvas em servidores da empresa, o Telegram e o Whatsapp são os mais recomendados.


Da Redação do portal Gama Cidadão

Após ser liberada de hospital no DF, grávida de 38 semanas perde bebê

Gestante foi liberada após diagnóstico de 'falso trabalho de parto', diz GDF. Bebê estava morto quando ela voltou ao Hospital do Gama, no dia seguinte.


Fachada do Hospital Regional do Gama, onde homem atirou em paciente (Foto: Reprodução/TV Globo)

Uma mulher grávida de 38 semanas perdeu o bebê horas depois de procurar o Hospital Regional do Gama, no Distrito Federal, com contrações e de ser orientada a voltar para casa. A Secretaria de Saúde informou que a paciente teve "falso trabalho de parto" e que por isso foi liberada.

 

Bianca Chavier, de 19 anos, procurou o centro médico por volta das 7h30 deste domingo (11) após sentir que a bolsa havia estourado. A prima dela Brenda Gonçalves diz que a gestante chegou com contrações moderadas e que o médico disse que ela estava com dilatação.

"Em sã consciência, ele não podia ter deixado ela ir embora" - Brenda Gonçalves, prima da gestante

"Ele falou pra ela ir fazer uma ecografia, mas, como era domingo, não tinha como fazer no [hospital] público, só no particular. Mas no particular não tinha condições."

Brenda diz que o médico orientou Bianca a voltar para casa e retornar ao hospital nesta segunda-feira para fazer o exame. "Em sã consciência, ele não podia ter deixado ela ir embora."

A grávida voltou ao hosital às 6h desta segunda, com fortes dores e sangramento, declara a prima. Segundo ela, outro médico atendeu a paciente e verificou que o coração do bebê não batia. Em seguida ela foi encaminhada para fazer a ecografia, que confirmou a morte.

"Ela é mãe de primeira viagem e o pai também. Eles deveriam ter instruído e internado ela. É uma falta de consideração pelas pessoas", afirma Brenda. "É uma irresponsabilidade do hospital."

A Secretaria de Saúde diz que  "imediamente" os médicos iniciaram um procedimento de indução do parto chamado amniotomia, que estimula as contrações uterinas pela utilização do medicamento ocitocina.

"Eles disseram que demoraria umas duas ou três horas e que não podia fazer cesárea por causa do risco de infecção", afirma Brenda. Segundo a prima, Bianca ficou em trabalho de parto das 10h às 19h25.

De acordo com a Secretaria Saúde, a paciente não foi submetida a uma cesárea porque o procedimento é recomendado "em último caso e não se aplica a esta ocasião".

"A Bianca está forte. Mas todo mundo está muito abatido, abalado com essa história", diz Brenda. A família mora em Valparaíso, em Goiás. A gestante optou por fazer o parto no Hospital do Gama porque ela e o irmão nasceram lá.

G1/DF - 12/09/2016 19h44 - Atualizado em 12/09/2016 19h44

Policiais e bombeiros militares recebem escrituras de lotes em becos do Gama

Governador de Brasília entregou 510 documentos na manhã deste sábado (10). Um dos beneficiados, o bombeiro Wilton Ferreira Costa comemorou o que considera a realização de um sonho

MARIANA DAMACENO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA - 10/09/2016 
 
O bombeiro militar Wilton Ferreira Costa recebeu do governador Rollemberg a escritura do lote em que mora no Gama. Foto: Tony Winston/Agência Brasília 

Escrituras de 510 lotes em becos do Gama foram entregues na manhã deste sábado (10), em cerimônia no 9º Batalhão de Polícia Militar, no Setor Sul. A medida beneficia moradores que esperam há até mais de 20 anos pela regularização. A ação faz parte do programa Habita Brasília, por meio do Lote Legal, que visa proporcionar moradia digna aos cidadãos, considerando o planejamento das cidades e o combate à grilagem.

Em 2015, o governo de Brasília entregou 10.283 escrituras de lotes diversos em todo o Distrito Federal, somadas a mais 7.013 neste ano. Ogovernador Rodrigo Rollemberg disse que a entrega de hoje completa cerca de 1,5 mil escrituras para policiais e bombeiros militares em becos de várias áreas de Brasília. “Isso acaba com a incerteza e dá segurança jurídica e mais tranquilidade para essas pessoas”, disse Rollemberg, que passou o documento simbolicamente às mãos de 11 contemplados presentes na solenidade.

“Não tenho palavras para descrever o que estou sentindo. Simboliza conforto para mim e para toda a minha família”, comemorou o policial militar Ronnie Luiz Falcão, de 49 anos, o primeiro a receber o que considera uma conquista que mudará a sua vida. Ele esperava pela regularização da casa há cinco anos.

Wilton Ferreira Costa, de 46 anos, vive no Gama desde que nasceu. O segundo-sargento do Corpo de Bombeiros se emocionou durante a cerimônia que marcou a entrega das escrituras, o que para ele é a realização de um sonho: “A gente vivia com medo, não podia ver aquelas derrubadas na televisão que batia a insegurança. Isso acabou”.

Também compareceram à cerimônia o secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab), Gilson Paranhos, a administradora regional do Gama, Maria Antônia Rodrigues Magalhães, o chefe da Casa Militar, coronel Cláudio Ribas, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Marcos Antônio Nunes de Oliveira, o subcomandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Costa, e o presidente da Associação dos Moradores de Becos no Gama, sargento da PM Geraldo Alves.

EDIÇÃO: RAQUEL FLORES

FOTOS: ISRAEL CARVALHO

 

Galeria de fotos. Clique aqui!

Portal Gama Cidadão