A crise hídrica no DF se tornou a maior da história nesses mais de 55 anos de existência da região. Com ela veio o racionamento de água e trouxe a tona a questão de como os órgãos competentes tem lidado com a questão hídrica em toda a região do DF e Entorno. Para se terem uma ideia do tamanho do problema o principal reservatório de Brasília está com 24% da capacidade.

As chuvas deste verão não estão ajudando e na região do Distrito Federal a situação do abastecimento é crítica. Até algumas nascentes estão secando. Algo jamais visto pelos moradores próximos a estas áreas. A crise está tão séria que a CAESB teve que implantar o racionamento no abastecimento de água em todo o DF. Acontece que quem vive nas zonas rurais a questão tem sido outra, a seca de nascentes e diminuição do fluxo de água nos córregos.

A situação crítica vivenciada por quem mora na zona rural se deve pelo fato de, além do baixo índice de chuvas, existirem algumas pessoas que estão fazendo capitação irregular de água de córregos e ribeirões.

Na região da Ponte Alta no Gama, no Núcleo Rural Casa Grande, vários córregos e nascentes atrás da igreja de São Francisco de Assis estão sofrendo com a capitação de água irregular, segundo um morador do local que não quis se identificar, falta fiscalização da Administração Regional do Gama e da Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis), que até o momento não estiveram no local para constatar o fato. 

A moradora do Alagados de Suzana, Dona Flávia, a mais de 33 anos na Vila, reclama que nunca viu a nascente próxima a sua casa tão seca como se encontra atualmente. E denuncia que esses acontecimentos se devem a capitação irregular de água desses ribeirões e nascentes por alguns moradores da região ou pela Caesb. Dona Flávia alega que está havendo um desvio dos ribeirões que passam na Vila e região.

Veja o seu depoimento para nossa equipe:

E toda essa seca hídrica está acontecendo bem no meio da estação úmida, que deveria trazer algum alento para a seca na região. Tudo indica que esse ano no DF ocorra o pior período de seca da história. Onde a chuva veio e melhorou a situação dos reservatórios foi no Sul e no Sudeste. O DF sofre com a escassez de chuvas no período mais chuvosos pra a região e deve piorar ainda mais no período de seca.

O Governo do Distrito Federal suspendeu a emissão de novas autorizações para captar água em regiões críticas, como por exemplo na bacia do Descoberto. E isso é por conta do desabastecimento que levou à crise hídrica. Não há previsão de quando os processos de outorgas voltarão a ser analisados.

Os agricultores que já aplicaram a documentação na tentativa de regularizar uma captação irregular ou começar a captar água não terão a permissão do governo neste momento. Em caso de desrespeito, ficam sujeitos a advertência, multa e obstrução dos poços. A Adasa não informou a quantidade de pedidos em aberto. Por conta disso alguns moradores dessas regiões têm recorrido aos córregos e ribeirões que abastecem essas bacias para fazerem a capitação de água. No caso de forma irregular.

Os córregos e ribeirões que cortam a região do Gama se conectam a bacia de Corumbá IV, que está localizada entre os municípios de Luziânia (GO), Novo Gama (GO) e Alexânia (GO). Essa bacia é um importante ponto hídrico localizado região sul do Entorno do DF. A anos está sendo feito uma imensa obra pela CAESB e SANEAGO, mas que vem se arrastando sem um prazo para conclusão. A obra visa atender o abastecimento de água das cidades que estão na região sul do DF e Entorno. Isso irá ajudar bastante na melhora da situação hídrica do DF.

Enquanto essa importante obra não é concluída e entra em funcionamento a população do DF se vê a mercê da situação em que se encontra o atual sistema hídrico do DF.

Com relação a questão da capitação de água irregular, a ADASA firmou um convênio com as polícias Militar e Ambiental do DF para intensificar a fiscalização das captações irregulares. Porém referente a região da Ponte Alta no Gama ainda não se pronunciam.

Galeria de fotos. Clique aqui!

Da redação do Gama Cidadão.