A ex-governadora e fundadora do PSDB Maria Abadia, saiu fortalecida das eleições  zonais do PSDB-DF, onde conseguiu eleger vários presidentes das zonais como  Ceilândia, Asa Norte e terá em todas as demais zonais pessoas de sua confiança a representando.

Os atuais dirigentes do partido que quando assumiram o comando em 2006 período que por várias vezes tentaram dizimar o grupo da ex-governadora, agora se curvam a sua liderança incontestável que nas ultimas eleições somou mais de 500 mil votos para a legenda.

Agora a ex-governadora deverá começar as articulações para que seu grupo volte a ocupar cadeiras no Diretório Regional da legenda, Executiva Regional e posteriormente na Direção Nacional da Legenda.

Segundo fontes Abadia poderá ser a coordenadora da Campanha do pré-candidato a presidência Aécio Neves e irá concorrer a uma vaga para a Câmara dos Deputados.

Fonte: Blog do Cafezinho

Conselho de Comunicação do Congresso apoia federalização

A aprovação do Projeto de Lei que federaliza crimes contra jornalistas, com o intuito de permitir investigação célere e imparcial com participação a Polícia Federal, foi defendida ontem pelo Conselho de Comunicação Social do Congresso, que se reuniu para aprovar moção de apoio à votação da proposta. O colegiado, órgão consultivo do Senado, solicitou que sejam incluídas no projeto categorias que exercem profissões similares à de jornalista, como radialistas e blogueiros. ...

O presidente do conselho, dom Orani Tempesta, disse que a federalização desse tipo de crime é importante para melhorar a apuração dos fatos em casos de violência contra jornalistas e comunicadores. Ele frisou que o grupo pedirá celeridade na tramitação do projeto, de autoria do deputado Delegado Protógenes (PCdoB-SP).

- Com essa ampliação, procuramos contemplar outros grupos que atuam na área jornalística. Pedimos para abrir para outras categorias e recomendamos a federalização para que haja melhor apuração dos crimes cometidos contra comunicadores. Isso ajudará a garantir a liberdade de expressão - disse dom Orani.

O representante dos trabalhadores no Conselho, Nascimento Silva, citou casos de assassinatos de comunicadores que não foram devidamente apurados e debitou a falha a problemas com policiamento local, especialmente em pequenos municípios.

- Como vamos averiguar quem está por trás desses crimes? Com a federalização do crime, entra a Polícia Federal para investigar, o que é fundamental. Se depender da polícia local, as dificuldades serão grandes, porque em alguns casos há conluio com o poder público que está sendo denunciado pelo jornalista ou radialista - disse Nascimento Silva.

Por Júnia Gama

Fonte: O Globo - 02/04/2013

Arruda, aquele cara que foi governador do DF (preso, inclusive), pode ser candidato a deputado distrital em 2014. Se isso acontecer, corre o risco de que ele eleja, com o volume de votos que pode obter, de cinco a dez distritais, tendo grande influência na Câmara Legislativa. ...

E por que Arruda não será candidato a deputado federal? Entre os denunciados na Operação Caixa de Pandora há três que podem sonhar com a Câmara Federal, mas dificilmente tentarão este rumo. Além de Arruda, estão nessa situação o empresário Paulo Octávio e o distrital do PMDB Roney Nemer.

Vale explicar bem isso. Se um dos três for eleito deputado federal, o processo da Caixa de Pandora, que hoje está no Superior Tribunal de Justiça, passa ao foro federal, de primeiro escalão, sendo todos os 37 reus julgados pelo Supremo Tribunal Federal.

Já pensaram o sucesso no plenário do STF quando forem projetados no Jornal Nacional os vídeos de Durval Barboza? Arruda e todos os que entraram na fria da Pandora têm grandes pesadelos quando pensam no ministro Joaquim Barboza analisando seus atos. O Mensalão do PT, sem vídeos nem gravações, já foi chocante. Imaginem, por exemplo, o filme da Oração da Propina passando em pleno Supremo Tribunal! Ou as meias do Leonardo Prudente!

Assim, reafirmo: Arruda, Paulo Octávio e Rôney não serão candidatos a deputado federal. Como candidatos a distrital, se forem julgados, enfrentarão o Tribunal de Justiça do DF, ficando restritos à repercussão local.  Sem dúvida, é um estrago bem menor.

Fonte: Blog do Riella - 28/03/2013

Após dois anos, volta por cima para mais um mandato?

Uma bateria de medidas de alto impacto para a população do Distrito Federal, adotadas nos últimos dias, marca a reação do governador Agnelo Queiroz à propalada inércia com que se comportou nos dois primeiros anos de seu governo.

O conjunto de ações tem o mérito de alcançar as áreas mais sensíveis segundo a visão da sociedade – o contribuinte que sofre à falta de hospitais e transportes públicos decentes.

Foi exatamente na saúde e na seara dos ônibus que Agnelo cravou sua cunha com maior ênfase. ...

Para reforçar o quadro do Hospital de Base, foi atrás dos médicos do Senado que se compraziam há décadas numa folgada escala de trabalho, sob a generosidade corporativa de todos os presidentes da casa das últimas décadas.
Para extirpar de Brasília o cancro da submissão à vontade feudal dos barões do transporte urbano, que dominam a capital desde a sua fundação, Agnelo teve o topete de intervir na empresa do ex-senador Valmir Amaral, aquele mesmo invasor de área pública na sua mansão do Lago Sul com marina, e que invadiu a Câmara Legislativa por se considerar um dos donos da cidade.

Empenho não menos vital, que gerou êxito nas últimas horas, foi a a obtenção pelo GDF de mais R$ 1 bilhão – dos 33 bilhões liberados pela presidente Dilma – para aplicar em projetos de mobilidade urbana.

Para não dizer que não atuou também no campo político, Agnelo mostrou força – ou convicção, que é a mãe da força – para emparedar os deputados rebeldes da Câmara Legislativa, ao retirar os projetos que organizam o espaço urbano do DF. Os dois projetos estavam para cair numa comissão presidida por um deputado rompido com Agnelo.

Vigilante de todas as áreas de seu governo, Agnelo Queiroz deu uma pincelada na sua comunicação, ao colocar o jornalista Ugo Braga na sua secretaria de Comunicação, um pé quebrado desde o começo de sua administração. Ugo sabe o que é notícia, não briga com os fatos, recebe os jornalistas e não debate com eles; é discreto e abomina a arrogância com que muitos passeiam (ou passearam) pelo cargo.

Por Leonardo Mota Neto - Diretor-Editor da Carta Polis

Fonte: Notibras com Carta Polis - 14/03/2013

Leia mais Pediatra dorme em plantão e deixa de atender pacientes; Saúde investiga

10 de março de 2013 publicado às 22h20 Verdades e mentiras da política do DF Governo não depende de Cristiano para aprovar PPCUB e LUOS na Câmara do DF

1 – O GDF não depende do deputado distrital Cristiano Araújo (PTB), presidente da Comissão de Assuntos Fundiários da Câmara Legislativa do DF, para aprovar o projeto da Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS) e o Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB).Segundo especialistas, a Câmara pode criar uma Comissão Temporária ou alterar o regimento para incluir os dois projetos em outra comissão permanente. Tal fato retira Cristiano do jogo. Criada esta comissão, cada bloco parlamentar indicará um integrante. Traduzindo: o governo poderá escalar seus aliados para não enfrentar qualquer tipo de turbulência.

2 – Aviso aos navegantes: 2014 já não é uma data distante. Apesar de se dizer que a oposição não anda conversando, muita gente está se articulando. Em todas as conversas da oposição a pergunta é a mesma: qual o nome capaz de unir os grupos? Até agora ninguém tem a resposta. ...

3 – Os estrategistas políticos do Palácio do Buriti acreditam que o governador Agnelo Queiroz tem apenas uma missão para conseguir se reeleger em 2014: ampliar a sua base de apoio e isolar ex-aliados que conquistaram o mandato na coligação vitoriosa de 2010 e depois abandonaram o barco à procura de um novo caminho.

4 – Um ato que vem sendo visto como fundamental é tentar atrair o deputado federal Reguffe (PDT) para a chapa Agnelo-Filippelli. Conseguindo colocar o parlamentar como candidato ao Senado, os estrategistas acreditam que a medida cirúrgica enfraqueceria qualquer sonho de Cristovam Buarque para 2014. O “tiro” também atingiria o projeto político do senador Rodrigo Rollemberg (PSB), cuja candidatura está vinculada a possível candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à Presidência da República.

5 – Petistas de alto coturno garantem: o secretário de Habitação, Geraldo Magela, insinua ser candidato ao Senado, mas está mirando as eleições de 2018. O projeto é se reeleger deputado federal e depois disputar o Buriti.

6 – A deputada distrital Arlete Sampaio estaria alimentando a ideia de presidir o PT. Grande parte do partido não suporta o atual presidente, o deputado federal  Roberto Policarpo.

 7 – Aos poucos, o ex-governador Joaquim Roriz (sem partido) retoma as rodas de discussões para a formatação de uma chapa majoritária para 2014. Roriz decidiu reduzir o seu grupo após uma série de conversas terem vazado de dentro de sua casa no Park Way.

8 – Durante reunião com a presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde, Marli Rodrigues, o senador Gim Argelo (PTB) afirmou para quem quisesse ouvir que estaria “repensando” o apoio ao governo do petista Agnelo Queiroz. “A saúde vai muito mal”, justificou o petebista.


9 – No rápido bate-papo, o senador Gim Argelo comprometeu-se a levar a categoria para um encontro com a presidenta Dilma Rousseff para relatar a situação nos hospitais públicos do DF. A audiência deve ocorrer até o fim do mês.

10 – Estão cada vez mais fortes os rumores de que a distrital Liliane Roriz (PSD) deve mesmo ser escolhida para compor uma possível chapa majoritária encabeçada pelo senador Rodrigo Rollemberg (PSB).

11 – Há mis de uma semana que o presidente do PSDB-DF, Márcio Machado, já tem em mãos a origem das notas na imprensa local que tentam desestabilizar o ninho tucano.

12 – Por falar em ninho tucano, Machado garante que o partido está na mais perfeita sintonia. “O que há são pouquíssimos insatisfeitos, uma ou outra exceção dentro de um grupo coeso, o que é natural dentro de um processo democrático”, diz o presidente.


13 – As eleições para as comissões da Câmara Legislativa confirmaram nuvens negras no futuro do deputado distrital Raad Massouh (PPL).

14 – Depois do deputado Patrício (PT) ser confirmado na Corregedoria da Casa, Raad assistiu ao seu arqui-inimigo, Dr. Michel (PEN), assumir a presidência da Comissão de Ética e Direitos Humanos.

15 – Patrício não poderá aliviar a barra de Raad sob o risco de ser mal interpretado por sua base eleitoral: os policiais militares. Já Michel acumula histórias de desencontros com o pepelista.

16 – O dublê de deputado, ator e secretário de Justiça, Alírio Neto (PEN), cujo lema na política é “ Hay Gobierno? Soy a favor!” sonha em ser candidato a deputado federal nas próximas eleições. Terá que arrumar uma boa coligação para chegar pelo menos a suplente, pois o PEN ainda não tem fôlego eleitoral.


17 – Só para lembrar, Alírio é um sobrevivente do governo de José Roberto Arruda.

18 – O deputado distrital sustentável Joe Valle (PSB) está fzendo dobradinha com o ex-distrital Wigberto Tartuce, o Vigão. O objetivo é retormar o projeto da multi-feiras, que funcionava próximo a Feira dos Importados. Há quem diga que toda a documentação esta pronta. Um verdadeiro passe de mágica.

 Por Carlos Honorato

Fonte: Estação da Notícia - 11/03/2013

Faltando 19 meses para a disputa eleitoral em que serão escolhidos deputados distritais, federais, senador e governador, o PT já começa a brigar pela (única) cobiçada vaga de senador. Até os arcos da Ponte JK sabem que Agnelo Queiroz é candidato à reeleição. Para manter a união de sua base precisa negociar a vaga de senador e não será com o PT. O problema: seu partido está a cada dia mais interessado em melar esta pretensão. Primeiro foi o deputado Geraldo Magela, que alardeia pelos quatro cantos da cidade que esta é a sua vez. Muita gente no PT não acredita nesta pretensão. Magela quer na verdade, segundo apurou o Jornal Opção, negociar apoio para ser reeleito. “O deputado não tem mais idade para entrar numa disputa difícil como esta. Se ele perder — e os riscos são grandes — dificilmente retorna à vida pública”, avaliam. ...

Este ensaio de Magela provocou muita correria na base de Agnelo na semana passada. Vários bombeiros da estrela vermelha entraram em cena para minimizar a notícia, acalmando o possível candidato único da base a esta vaga: senador Gim Argello (PTB). Novamente Agnelo e seus estrategistas são pegos na contramão dos fatos. Primeiro foi a deputada Erika Kokay, que jogou fervura nas pretensões de Agnelo em ser o nome do PT. Postou ela na rede: “É um desrespeito com a militância do PT o fato de dirigentes do partido já darem como certa a candidatura à reeleição de Agnelo Queiroz. O que o partido tem de mais valioso é a militância, que deve discutir e deliberar sobre o nosso candidato”. Erika pode não ser uma unanimidade dentro da turma petista, mas ela é sem dúvida uma autêntica petista. Sempre foi uma pedra no sapato dos governos de Joaquim Roriz e José Roberto Arruda. Portanto, tem um patrimônio histórico na legenda.

Novamente vem à tona a ques­tão da vaga para o Senado. O petista Chico Leite disse ao “Jor­nal de Brasília”: “Sou candidato a senador e disputarei a vaga na convenção do partido”. Nessa marcha, só falta os petistas reivindicarem a vaga de vice-governador desbancando Tadeu Fi­lip­pelli. Se Agnelo não colocar um freio nesta bagunça, Filippelli e  Gim Argello podem buscar ou­tras paradas. Se isto ocorrer, adeus PT novamente no Buriti.

Por Wilson Silvestre

Fonte: Jornal Opção - 10/03/2013


A deputada distrital Liliane Roriz (PSD) recebeu o convite formal do presidente regional do PSDB, Ma?rcio Machado, para se filiar nas frentes tucanas. A proposta foi feita ontem em um almoc?o. A parlamentar na?o escondeu a satisfac?a?o com a ideia. No entanto, a parlamentar afirmou que so? podera? responder depois do PSD decidir se ingressa ou na?o na base do governo Agnelo. ...

Cena?rios
Liliane teria ate? setembro para responder. Afinal, este seria o prazo seguro para filiac?o?es com vistas a? candidatura em 2014. Mas a deputada se comprometeu a dar uma resposta em peri?odo bem mais curto de tempo. Do outro lado dessa histo?ria, para Ma?rcio Machado um “sim” de Liliane seria um importante capital poli?tico na busca pela reeleic?a?o a? frente do partido. Pois, atualmente, existem diferentes frentes tucanas articulando pelo comando da sigla.

Fonte: Jornal de Brasília - Do Alto da Torre - 09/03/2013