VICE-PRESIDENTE ELEITO DA CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL  DEPUTADO AGACIEL MAIA É DESTAQUE NA COLUNA EIXO CAPITAL DAS JORNALISTAS LILIAN TAHAN E ANA MARIA CAMPOS DO JORNAL CORREIO BRAZILIENSE.

Qual será sua atribuição na vice-presidência da Câmara?

Vou trabalhar no sentido de haver maior divulgação do trabalho de todos os parlamentares. Trabalhamos muito, mas a população não tem conhecimento do que fizemos de importante nos dois últimos anos.

O senhor foi citado como candidato à presidência. Assume a vice pensando em virar presidente?

Não. Assumo pensando em ser vice. Cheguei à Câmara e havia muita desconfiança em relação a mim entre os deputados. Aos poucos, criei uma confiabilidade. Por isso, meu nome era sempre lembrado para a presidência. Mas acho muito honroso ser vice-presidente.

Pode explicar por que a desconfiança?

Cheguei com a imagem negativa, depois da crise no Senado. Houve divulgação de fatos errados sobre o meu patrimônio e minha vida. Com meu trabalho, construí uma confiabilidade entre os deputados.

O senhor foi diretor do Senado durante 14 anos. Trabalhou com muito poder no Congresso. Acha que perdeu muito ao virar deputado na Câmara Legislativa do DF?

Trabalhei com Ulysses (Guimarães), com Afonso Arinos, fui durante nove anos diretor da Gráfica do Senado e 14 anos diretor do Senado. Na Câmara Legislativa, eu me adaptei a uma realidade diferente da que vivi durante 35 anos no Congresso. Agora os temas são muito relacionados com as matérias do governo local. Estava mais conectado com as políticas nacionais. Mas me adaptei bem.

Quando mira o futuro, pensa em voltar ao Congresso?

Fiz carreira brilhante, até os atos secretos… Era elogiado por todos. Minha carreira foi totalmente desconstruída por causa daquela crise do Senado. Ninguém nunca questionou minha competência, qualificação… Mas eu tinha duas opções: reconstruir ou simplesmente desaparecer. Minha missão maior é reconstruir meu nome e trabalhar pela comunidade. Vou continuar trabalhando e o que eu vou ser no futuro só Deus sabe.

Como justifica os atos secretos?

Parte de alguns atos não haviam sido publicados. Depois foram publicados. A maioria eram atos de realocação de servidores, sem prejuízo financeiro. Todos os atos foram convalidados. Nenhum ato foi anulado e nenhuma pessoa foi demitida.

O episódio marcou sua carreira. Será sempre lembrado como o diretor dos atos secretos?

Sofro com essa história. Quero trabalhar. Agaciel não é isso. Estudou muito, se preparou. Passei 35 anos sem nenhum atestado médico. Sempre fui extremamente elogiado, mas ninguém lembrou disso na hora de me acusar. Mas é coisa do passado. Minha função agora é ser vice-presidente da Câmara Legislativa.

FONTE: COLUNA EIXO CAPITAL – ANA MARIA CAMPOS E LILIAN TAHAN/Correio Braziliense


Do Blog do Riella

Não creio que José Roberto Arruda leia este BLOG. Se ler, vai desistir de ser candidato nas eleições de 2014.

Sabem por que? Porque, se conseguir ser eleito deputado federal, o julgamento da Caixa de Pandora segue para o Supremo Tribunal Federal, onde ele será triturado mais do que José Dirceu e Genoíno.

Ficou comprovado, nesta questão do Mensalão do PT, que o chamado foro privilegiado é uma fria. Se Arruda e seus comparsas forem julgados pelo STF, não terão possibilidade de recorrer a outras instâncias. É o que ocorre com os petistas, ameaçados de prisão próxima, sem apelação.

Hoje, o processo da Caixa de Pandora está tramitando no Superior Tribunal de Justiça, porque um dos 38 reus (Domingos Lamoglia) é conselheiro do Tribunal de Contas do DF. Por isso, tem foro privilegiado, localizado nesta instância superior.

Se condenados no STJ, os pandoristas ainda poderão recorrer ao Supremo, ganhando mais alguns anos antes de serem trancafiados, antes de verem o sol quadrado.

Pode ser que, antes disso, alguns deles batam as botas, outros atinjam os 70 anos (com redução de pena, etc).

Há outro aspecto não divulgado. Se Domingos Lamoglia for cassado no TCDF (ou se renunciar), o julgamento dos 38 pandoristas cai para a Justiça Comum, a chamada primeira instância, no Tribunal de Justiça do DF. Nesse caso, há o inconveniente de ser julgado por juiz desconhecido, que pode botar para quebrar em cima do grupo, tentando ser mais radical do que o ministro Joaquim Barbosa.

O melhor para Arruda é mesmo o STJ, onde está hoje. Mas, como disse antes, ele perde a regalia se for eleito deputado. Por isso, mesmo que escape da Lei da Ficha Limpa (ou Suja) em 2014, quase certamente não será candidato. Só se for burro, ou suicida.

ARRUDA CERCADO DE PROCESSOS
O ex-governador José Roberto Arruda blefa o tempo todo e até ameaça disputar (para ganhar) eleição em Brasília, mas a situação dele é gravíssima. Além do processo da Caixa de Pandora, no Superior Tribunal de Justiça, ele tem diversos outros bastante críticos e até já foi condenado em um: o do painel do Senado.

No STJ, fechou-se neste semestre o prazo para que os 38 investigados pela Polícia Federal e pela Procuradoria Geral da República apresentassem suas defesas prévias. A expectativa é que o Superior Tribunal, no primeiro semestre de 2013, aceite a denúncia contra os acusados, abrindo perspectiva para um julgamento semelhante ao do Mensalão do PT.

Dentro do Inquérito 650 (Caixa de Pandora), a denúncia da PRG contra Arruda e outros acusados lembra muito a condenação de José Dirceu, Genoíno e outros, destacando-se expressões como corrupção ativa e lavagem de dinheiro, repetidas muitas vezes. É impressionante a carga dessa denúncia, mais forte do que a do Mensalão, pois baseada em gravações e delações premiadas.

Abrindo-se Ação Penal Pública contra Arruda e seus comparsas, teremos repercussão no nível do Mensalão do PT, recheada de imagens que ficaram famosas no mundo (até na China). Voltarão ao noticiário personagens que já recomeçam a circular com aparente naturalidade na sociedade brasiliense.

ATÉ O PAINEL DO SENADO COMPLICA
Muitos outros processos complicam a vida de José Roberto Arruda, tomando grande parte do seu tempo e levando-o a gastar verdadeiras fortunas com os melhores advogados.

O mais antigo processo é o relativo à violação do painel do Senado. Neste ele já foi condenado em primeira instância e breve poderá ser julgado por colegiado, na Justiça do DF. Quando isso ocorrer, estará inelegível, pelas regras da Lei da Ficha Limpa.

Arruda tem ainda o processo relativo aos gastos irregulares para a inauguração do Estádio Bezerrão, abrangendo o montante de R$ 8 milhões.

Fonte: blog do Riella


Afirmação é do autor da proposta, deputado estadual Luciano Simões, do PMDB; "No momento em que todo o Brasil admira e festeja o combate à corrupção, seria coerente que os deputados do PT desta Casa incluíssem na dispensa de formalidades o título a esse grande cidadão brasileiro", afirma o peemedebista; projeto deveria ter sido votado ontem no plenário, mas o líder da maioria, deputado Zé Neto, do PT, vetou a articulação

A proposta de condecorar o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, com o título de cidadão baiano ficou para depois. Projeto deveria ser votado na última sessão deste ano, ontem, mas o PT vetou a apreciação em plenário. Afirmação é do autor da proposta, deputado Luciano Simões, do PMDB. ...

"O PT se manifestou contra, quando na verdade o último despacho do ministro Joaquim Barbosa foi negando o pedido da prisão imediata dos envolvidos do mensalão. Daí se tem uma noção do tratamento que ele tem dado as questões jurídicas nacionais. No momento em que todo o Brasil admira e festeja o combate à corrupção, seria coerente que os deputados do PT desta Casa incluíssem na dispensa de formalidades o título a esse grande cidadão brasileiro", disse Simões.

O líder da oposição, deputado Paulo Azi (DEM), declarou que apoiava a aprovação da matéria, mas não obteve a mesma cortesia do líder do governo, o petista Zé Neto.

Fonte: Bahia 247 - 28/12/2012


Sobrinho de secretário foi nomeado como administrador do Riacho Fundo I

Não durou nem um dia a gestão de Domingos Sávio Lacerda Martins a frente da Administração do Riacho Fundo I. Após denuncia do Portal Guardian Notícias de que havia nepotismo na direção da cidade, o Diário Oficial desta quinta-feira, 27, tornou sem efeito a nomeação de Martins, que é sobrinho do secretário de Administração do Governo, Wilmar Lacerda.

O ato de nomeação de Lacerda Martins foi publicado nesta quarta-feira, 26. O portal GN fez denúncia ontem mesmo no final da tarde. No lugar dele, o governo colocou Adauto de Almeida Rodrigues, que antes administrava o Setor de Indústria e Abastecimento (SIA).

Apesar de ter sido uma indicação direta de Wilmar Lacerda, o caso não era considerado nepotismo, como outros casos também não foram. O nepotismo, prática comum entre os políticos para acomodar parentes em gabinetes ou na estrutura do GDF, foi abolido na Câmara Legislativa.

Por Elton Santos

Fonte: Guardian Notícias


Segundo o colunista, presidente estaria descontente com a interferência da cúpula do PT em seu governo e com o desgate dos recentes escândalos;  seu ex-marido e amigo Carlos Araújo já voltou ao partido de Leonel Brizola; "lulistas" dizem que o caso "Rosegate" pode fazer o ex-presidente entrar na próxima disputa presidencial

A presidente Dilma Rousseff pode deixar o PT. É o que diz a coluna de Claudio Humberto de hoje. Descontente com a interferência da cúpula do partido em seu governo e com o desgaste dos recentes escândalos envolvendo figuras próximas ao ex-presidente Lula, Dilma sonda volta ao partido de Leonel Brizola. ...

Na semana passada, colunista disse que o PT pode usar o escândalo da venda de pareceres, que envolve a ex-chefe de gabinete da Presidência da República em SP, Rosemary Noronha, para promover a bandeira "Lula 2014".

Leia a coluna de hoje:

Retorno ao PDT pode ser o plano B de Dilma

Irritada com a interferência de “lulistas” em seu governo, com a falta de solidariedade de muitos deles e o desgaste provocado pelas denúncias de “malfeitos” que não lhe pertencem, a presidenta Dilma já segredou a interlocutores próximos que no futuro pode considerar seu retorno ao PDT como uma espécie de “plano B”. Seu ex-marido e amigo Carlos Araújo já voltou ao partido de Leonel Brizola, ídolo dele e da ex-mulher.

‘Olheiro’

Ex-assessora de Leonel Brizola (fazia um resumo diário do noticiário para ele), Dilma quer seu ex testando a aceitação de sua refiliação.

Limpeza

Num gesto de assepsia política, Dilma fez de Brizola Neto ministro do Trabalho para ajudá-lo a destituir o presidente da sigla, Carlos Lupi.

Apoio explícito

A pedido de Brizola Neto, Dilma apóia o deputado João Dado (SP) para líder do PDT, contra o atual, André Figueiredo (CE), ligado a Lupi.

Negociação

O Planalto cancelou a liberação de todas as emendas parlamentares do PDT, inclusive as já empenhadas. A ordem agora é negociar.

Por Cláudio Humberto

Fonte: Brasília 247 - 10/12/2012

Pesquisa do O&P mostra que petista não seria reeleito hoje na capital federal

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), bateu recorde de desaprovação, segundo pesquisa do instituto O&P Brasil feita de 24 a 27.nov.2012 com 800 entrevistados. O estudo mostra que o petista é desaprovado por 70,3% da população da capital –maior índice registrado desde que a pesquisa começou a ser feita em maio de 2011. ...

Naquela 1ª pesquisa, 36,5% diziam desaprovar o governo recém-iniciado de Agnelo. Na 2ª pesquisa, de ago.2011, o governador foi rejeitado por 45,3% dos entrevistados. Em nov.2011, por 67,1%. Em mar.2012, por 65,5%.

O instituto também afirma que cresceu, desde mai.2011, o percentual de pessoas que avaliam negativamente o governo de Brasília. Essa taxa era 34% em mai.2011 e subiu para 45,2% em ago.2011. No levantamento seguinte, de nov.2011, também cresceu: 64%. Em mar.2012, foi 59,4%. E, agora, em nov.2012, chegou a 60,2%.

Brasília é uma das unidades da Federação mais ricas do Brasil. O orçamento anual da capital federal é de mais de R$ 20 bilhões, sendo que cerca de R$ 10 bilhões caem de mão beijada nos cofres da cidade: são fruto do Fundo Constitucional do Distrito Federal (dinheiro dos impostos de todos os brasileiros para sustentar o município). Ainda assim, apesar dessa fartura orçamentária, a cidade sofre com transporte público precário e sistema de saúde ruim.

A pesquisa do O&P (disponível aqui, na íntegra) simulou ainda 3 cenários possíveis na próxima eleição para governador do Distrito Federal, que acontecerá em 2014. Agnelo perde em todos e o senador Rodrigo Rollemberg (PSB) aparece em vantagem.

O 1º cenário é:


Rodrigo Rollemberg (PSB) – 20,4%
Toninho (PSOL) – 15,6%
Agnelo (PT) – 10,6%
Fraga (DEM) – 10,4%
Valmir Campelo – 6%
Nenhum  – 26,6%
Não sabem/não responderam – 10,4%

Como a pesquisa tem margem de erro de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos, o senador Rollemberg e Toninho do PSOL estão tecnicamente empatados –a diferença entre eles não supera a variação que o erro pode ocasionar em seus percentuais.

O 2º cenário:

Rodrigo Rollemberg (PSB) – 26%
Eliana Pedrosa (PSD) – 19,6%
Agnelo (PT) – 11,1%
Nenhum – 33,8%
Não sabem/não responderam – 9,5%

O 3º cenário:

Rodrigo Rollemberg (PSB) – 31,3%
Agnelo (PT) – 12,6%
Luiz Pitiman (PMDB)  - 8,5%
Nenhum – 35,8%
Não sabem/não responderam – 11,9%

O instituto O&P Brasil pertence ao sociólogo Fernando Jorge, irmão de Eduardo Jorge, um dos vice-presidentes do PSDB e ex-secretário-geral da Presidência no governo FHC. Fernando Jorge também é filiado ao PSDB. Seu instituto de pesquisas, no entanto, trabalha para diversas instituições e partidos. Entre os clientes do O&P, afirma, estão agências contratadas pelo atual governo do Distrito Federal –que solicitaram estudos de avaliação da comunicação do governador Agnelo– e o PSB, de Rollemberg. Na eleição de 2012, o instituto prestou serviços para o PP e o PSDB. Em 2010, para o PT e o PSC. Segundo Fernando Jorge, a pesquisa periódica de avaliação do governo é feita por iniciativa e com recursos próprios do O&P.

Fonte: Blog do Fernando Rodrigues - 05/12/2012

1 - A noticia de que está para ser deflagrada uma nova operação da Polícia Civil do DF, com repercussões na Câmara Legislativa do DF, tem, literalmente, tirado o sono de alguns parlamentares. Fontes da polícia afirmam que a ação já foi adiada mais de uma vez. O motivo é que novos personagens se complicam com suas movimentações todas as vezes que os boatos surgem.

2 – Conforme já havíamos noticiado há algum tempo, as supostas acusações contra o distrital Raad Massouh (ex-DEM, atual PPL) vieram à tona com a Operação Mangona. Só falta agora o pedido de representação contra o parlamentar para que a notícia torne-se 100% verdadeira.

3 - No Buriti, há grande receio de que a tal representação seja protocolada contra Raad Massouh. Alguns distritais da base governista já comunicaram à cúpula do Palácio do Buriti que não há nenhum tipo de intenção dos parlamentares de organizar algum tipo de "operação abafa" para salvar o colega distrital. ...

4 - Com os holofotes virados para Raad, que foi eleito no grupo rorizista e depois declarou apoio ao governo de Agnelo Queiroz, cresce na Câmara Legislativa a expectativa de que outros parlamentares com o mesmo perfil, digamos, independente tenham o fim parecido. Aylton Gomes que o diga.

5 - A pesquisa do Instituto O&P Brasil – 800 entrevistas feitas no dia 27 de novembro último – mostra uma terrível encrenca para o governador do DF, Agnelo Queiroz, caso ele esteja pensando em reeleição.  Apesar de ainda faltar dois anos para as eleições, a pesquisa mostra que a população do DF prefere que o PT apresente outro candidato para as eleições de 2014.

6 - Segundo a pesquisa, do total de eleitores pesquisados, 69% preferem que o PT escolha outro nome. Já entre os simpatizantes do PT o percentual chega a 71.3%. Alguns petistas acreditam que com o passar do tempo o jogo deverá mudar e a chapa Agnelo-Tadeu Filippelli deverá ser referendada para a disputa de 2014.

7 - Depois de perder a eleição da OAB-DF, Francisco Caputo, agora pode se dedicar ao que mais gosta: a política.

8 - O presidente do PSD-DF, ex-governador Rogério Rosso, tenta costurar um acordo com os parlamentares distritais do partido para que se chegue a um consenso sobre quem irá integrar a próxima Mesa Diretora da Câmara Legislativa: Washington Mesquita ou Eliana Pedrosa.

9 - O aniversário do secretário de Segurança do DF, Sandro Avelar, que reuniu mais de reuniu 400 pessoas em um badalado restaurante da cidade, foi uma espécie de "esquenta" para a sua candidatura a deputado federal em 2014.

10 - Os advogados e aliados de Joaquim Roriz aconselharam o ex-governador a não jogar a toalha sobre a sua intenção de ser candidato ao Buriti em 2014. Roriz chegou a comentar com lideranças políticas que, caso não conseguisse o respaldo da Justiça, indicaria o nome da filha caçula, a distrital Liliane Roriz, como cabeça de chapa. "Está muito cedo para qualquer definição", tem dito.

11 - Brasília já tem o seu "Demóstenes".

12 – A nova Mesa da Câmara que está na boca do governo: Wasny de Roure, presidente; Agaciel Maia, vice-presidente; Washington Mesquita, primeiro secretário; Israel Batista, segundo secretário; e Aylton Gomes, terceiro secretário.

13 – Quem é a Rosemary do GDF?

14 - De tantas derrotas consecutivas, o aliado do ex-governador Arruda e vice-presidente do PSDB-DF, o ex-deputado distrital Raimundo Ribeiro, até que tentou ficar oficialmente em cima do muro nas eleições da OAB-DF. Só que nos bastidores, estava dado como certo o apoio do político ao candidato derrotado, Francisco Caputo. Agora, para todos os efeitos, Ribeiro diz que fez campanha para o opositor da atual gestão e vencedor do pleito, Ibaneis Rocha, desde criancinha. Só que o discurso não tem colado...

14 - Uma pergunta que não quer calar: a Câmara Legislativa tem Corregedor?

15 - Daqui a dois anos teremos eleição em Brasília e os principais favoritos em todas as pesquisas, citados de maneira espontânea estão com problemas jurídicos: os ex-governadores Joaquim Roriz, José Arruda e mesmo a ex-governadora Maria de Lourdes Abadia.

16 – São cada vez mais fortes os boatos de que o chefe da Casa Civil do GDF, Swedenberger do Nascimento Barbosa, o Berger, pode desembarcar na Prefeitura de São Paulo para ajudar o Fernando Haddad. Berger estaria atendendo a um pedido pessoal do ex-presidente Lula.

17 - O PT pode não apoiar Agnelo Queiroz em sua reeleição com medo de perder a eleição. A opção é Geraldo Magela, Arlete Sampaio e outros menos votados, como Cabo Patrício.

18 - Aliás, o PT é craque em não apoiar a reeleição de quem está exercendo mandato no executivo – tem os casos de Olívio Dutra em Porto Alegre e mais, recentemente o caso de Recife.


19 -Primeiro grande sinal de que Reguffe será candidato ao GDF ou ao Senado: se casou, sem alarde, sem comemorações públicas, numa cerimônia simples. Bem ao seu estilo.

20 - E o PSDB? Tá crescendo, crescendo, crescendo tanto que pode até explodir. Já tem o Izalci Lucas, que mira o GDF, o Márcio Machado, o Arruda, ou melhor, o Roberto Ribeiro, que chama todo mundo.

21 - A deputada distrital Celina Leão (PSD), evangélica e rorizista convicta, converteu-se em neo-comunista e vai mesmo para o que sobrou do PPS, do Roberto Freire, do Augusto Carvalho, o ex-secretário de Saúde do Arruda...

Fonte: Estação da Notícia - 05/12/2012

Leia mais ...

As verdades e mentiras da política do DF - 15/08/2012