Jogo marca reencontro entre o zagueiro Lúcio, titular da Seleção que conquistou o Mundial em 2002, e o ídolo do São Paulo, presente naquele elenco

Eric Zambon - Jornal de Brasília 

A Sociedade Esportiva do Gama vai enfrentar novamente, na tarde do próximo dia 13, o Fortaleza-CE após quase 10 anos. Como atrativo especial do jogo no estádio Bezerrão, ainda sem horário definido, o zagueiro pentacampeão Lúcio, recém-contratado pelo Periquito, terá o reencontro com seu ex-companheiro de Seleção e de São Paulo, Rogério Ceni, hoje técnico do Tricolor de Aço.

Será o último amistoso para as duas equipes antes do início de seus respectivos campeonatos regionais. O Candangão para os gamenses começa em 20 de janeiro, diante do Bolamense, no Estádio Nacional Mané Garrincha, enquanto o campeonato estadual dos cearenses se inicia um dia depois, contra o Tiradentes, no Castelão.

Quando se enfrentaram pela última vez em 2008, no segundo turno da série B do Campeonato Brasileiro, o Gama venceu em casa por 2 a 0. No primeiro semestre daquele ano, no entanto, o Fortaleza havia aplicado uma goleada por 5 a 1 sobre o time do DF, resultado que se provou decisivo no fim do certame. Os candangos foram rebaixados em penúltimo lugar enquanto o Tricolor se salvou apenas pela quantidade de vitórias.

 

O apelo

O anúncio do amistoso foi feito oficialmente na página oficial do Gama no Facebook e deu ênfase aos dois personagens da disputa. Quando estiveram pela primeira vez no mesmo elenco, em 2002, o resultado foi o quinto e último título mundial do Brasil, na Copa da Coreia e Japão. Lúcio, hoje com 39 anos, foi titular daquele time de Felipão, formando a linha de três zagueiros ao lado de Roque Júnior e Edmílson, e Ceni foi o terceiro reserva no gol, atrás de Marcos e Dida.

Em 2013, porém, lado a lado no São Paulo, a parceria terminou de maneira melancólica e o defensor deixou o clube pela porta de trás. Em julho daquele ano, após uma derrota para o Internacional , pelo Campeonato Brasileiro, o zagueiro foi afastado pelo técnico Paulo Autuori , que alegou questões disciplinares, e Lúcio não voltou a vestir a camisa do Tricolor.

Ele foi excluído até mesmo de uma excursão à Europa, naquele mês, para disputar a Copa Audi. Como havia sido jogador do Bayern de Munique, da Alemanha, adversário da estreia, os organizadores usaram sua imagem para promover a partida e ficaram desgostosos quando ele não apareceu. Após uma passagem pelo futebol da Índia em 2016, ele apenas descansava até ser chamado pelo clube do DF, onde deve encaminhar sua aposentadoria.

Foto divulgação
 

Prova de fogo

Rogério Ceni, por sua vez, é um ídolo do São Paulo e se aposentou em 2015, após 27 anos dedicados ao mesmo time. Ele é o maior goleiro-artilheiro da história, com 131 gols durante a carreira, entre tentos de falta, pênalti e até dois com a bola rolando. O ápice de sua carreira foi em 2005, quando marcou 21 vezes na temporada e ainda foi capitão dos títulos do Campeonato Paulista, da Taça Libertadores e da Copa do Mundo de Clubes da Fifa.

Ano passado, após um ano de estudos, teve sua primeira experiência como treinador e assumiu o time de coração. Depois de seis meses no comando, acumulou eliminações seguidas no Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Copa Sul-americana e amargou uma sequências de derrotas no Brasileirão, o que culminou na sua demissão. Agora, ele tenta se reerguer.

Os jogadores que vestirão a camisa do Gama no Candangão 2018 foram oficialmente apresentados à imprensa em evento na Faciplac, faculdade local da cidade do Gama a qual o time agora tem parceria. Os 39 atletas agora farão baterias de exames para só depois serem postos à prova no Centro de Treinamento Ninho do Periquito no início dos trabalhos para o Candangão do ano que vem.

Bem organizado, o evento apresentou jogador a jogador no palco do auditório da faculdade, além de todos os diretores que estão responsáveis por cuidar do clube nos bastidores do futebol desde o início de 2017, quando Weber Magalhães assumiu o controle do clube com um elenco inchado, montado por seu antecessor e agora vice-presidente de futebol, Tonhão. A ideia dos diretores para 2018 é evitar os gastos desnecessários como ocorreu no Candangão deste ano, levando o clube a um mar de dívidas e ao desastre de ser eliminado pelo Paracatu nas quartas de final de forma melancólica nos pênaltis. 


Animados

O treinador do clube, Carlos Alberto Dias, se mostrou animado em estar a frente do clube e prometeu dar seu melhor para recolocar o Gama entre os melhores do futebol do Distrito Federal. “Todos sabemos da responsabilidade, é um campeonato competitivo, difícil mas nós temos que trabalhar. Conversei na prévia com eles (jogadores), no ano que vem temos uma ideia diferente do que queremos para a competição. Temos que formatar o grupo e o elenco primeiramente com homens e depois com profissionais comprometidos. É uma torcida que cobra bastante e temos de estar preparados”, disse.

Natural da cidade do Gama, o experiente meia Robston volta ao alviverde após 17 anos longe de casa. “Poder voltar ao Gama pra mim é uma alegria muito grande. Sei da importância que esse clube tem para o futebol brasileiro, espero fazer uma boa pré-temporada. Sabemos que tem boas equipes aqui no Distrito Federal mas se o Gama se impor, junto com a sua torcida, sabemos que temos condições de fazer um campeonato forte. Sou muito feliz em voltar ao clube que me projetou para o futebol”, afirmou Robston.
 

O treinador Carlos Alberto Dias garante que dará o seu melhor | Foto: Sérgio Vinícius (BloGama.Net)

Torcida desconfiada
De acordo com os diretores da Sociedade Esportiva do Gama, o clube virá estruturado na parte de saúde para o ano que vem, isso graças ao torcedor Rodolfo Prado que fechou parcerias com a Pump Suplementos, o Centro Hiperbárico de Brasília, a Clínica Qualifisio, o Hospital Santa Luzia e o Sabin. 

A melhoria na estrutura de saúde não refletiu para diminuir a desconfiança da torcida com o elenco e o técnico apresentados. Com um grupo cheio, o time do Gama mescla jogadores muito jovens, na faixa dos 18 aos 20 anos, e outros mais bem rodados, acima dos 30 anos de idade, mas quase todos desconhecidos. 

Os torcedores poderão conhecer de perto os jogadores no dia 15 de novembro no CT Ninho do Periquito. Todos os atletas serão apresentados novamente com portões abertos, apesar disso, o receio da torcida só será sanado após o primeiros testes. A estreia do Periquito no Candangão 2018 será no dia 20 de janeiro contra o Bolamense no Mané Garrincha. 

 

Veja as entrevistas com jogadores do Gama:

Transmissão Ao Vivo da apresentação para 2018:

A sétima etapa do Campeonato Goiano de Motocross um dos maiores estaduais da modalidade no país, chega a sua sétima rodada na cidade de Edéia, com uma pista tradicional o município sedia o campeonato a anos. Com estrutura de nacional o evento é uma verdadeira festa na cidade.

O Diretor Kurt Feichtenberger avalia a etapa como sucesso e muito positiva para os pilotos do Goiás o número de inscrições foi bastante alto até comparado com a última etapa que foi junto do Brasileiro, isso prova o prestígio do estadual a nível nacional. Já que Edéia está recebendo nesse fim de semana grande parte dos melhores pilotos do país e do estado!

No sábado 4 das 11 categorias já competiram oficialmente na parte da tarde, os pilotos elogiaram muito o circuito de Edéia, confira a seguir os resultados de hoje.

A primeira bateria do dia a alinhar no gate foi a categoria nacional que teve como vencedor Gabriel Rocha, seguido por Wanderly Cezar, em terceiro ficou Thiago Cardoso, o quarto foi Bruno de Oliveira e fechando os cinco primeiros veio Matheus Sousa.

Em seguida foi a vez da MXF ir para a largada e quem despontou na frente foi a estrela do Enduro, Bárbara Neves que fez o holeshot e garantiu a vitória de ponta a ponta, na segunda colocação ficou Sarah Raquel que até tentou um ataque a Bárbara mais uma queda lhe tirou as chances de uma aproximação, na terceira posição veio Nicole Rodrigues, em quarto ficou Gleicilene Batista e fechando o pódio Helida Guimarães.

A categoria iniciantes além de um gate lotado, trouxe muitas emoções e trocas de posições na pista Felipe Bonfanti, o líder da categoria no campeonato mesmo sem ter saído na frente veio conquistando posição a posição até que da metade da prova para frente assumiu a ponta para mais uma vitória, no segundo lugar ficou Jonatas Rodrigues, em terceiro veio Kevin Pereira, o quanto foi Thiago de Sousa e na quinta colocação ficou Fábulo Isoton.

Para fechar as competições do sábado veio a categoria MX4, João “Doido” disparou na frente e abriu uma larga vantagem sobre os demais garantindo a vitória na classe. Na segunda posição ficou Flávio Carneiro, em terceiro veio Vandete Vilela, no quarto posto ficou Elenilton Rodrigues e no quinto lugar veio Saulo Geronimo.

No domingo o sol forte e o clima seco em Edéia judiou dos competidores na pista, mas não diminuiu o nível das disputas já que grandes nomes do cenário nacional estavam presentes na sétima etapa do Campeonato Goiano de Motocross e garantiram disputas eletrizantes e um verdadeiro show em duas rodas para o grande público presente que lotou as arquibancadas cobertas montadas no circuito que a 13 anos recebe as etapas do Goiano no município.

A primeira bateria a definir seus vencedores foi a MX Junior, onde Keven Willian venceu de ponta a ponta trazendo em seguida o paulista Rodolfo Bicalho, na terceira colocação ficou Felipe de Menezes, em quarto Paulo Ricardo e em quinto Luis Felipe.

Na categoria 50cc Felipe de Menezes e Athos Paulo travaram uma bela disputa que agitou o público mas Felipe tomou a liderança do meio da prova para o fim e com alguns errinhos e Athos administrou até a vitória, Athos cruzou a linha de chegada em segundo, o terceiro foi Victor Hugo e o quarto colocado Edenny Ayllon.

A MX2 foi para a pista com um bom número de inscritos e com grandes nomes do cenário nacional, Gustavo Pessoa, piloto do team Honda IMS disparou na frente e abriu boa vantagem para garantir sua primeira vitória na etapa. Em segundo ficou Frederico Spagnol, também do Team Honda IMS, o terceiro foi Matheus Klysman em quarto Kioman Navarro e fechando os top5 Paulo Vitor Cunha o PV.

A MX3 pegou fogo e também levantou as arquibancadas com uma belíssima disputa entre Claudner Rocha e Wolney Fyquei, no final melhor para Claudner que imprimiu um ritmo forte superando Fyquei que garantiu a segunda colocação, em terceiro ficou o paulista Vini Machado, na quarta colocação ficou Kurtinho que após o holeshot conseguiu fazer uma boa prova garantindo o pódio. João Doido fechou o pódio na classe MX3.

O jovem paulista Rodolfo Bicalho que havia conquistado o segundo lugar na MXJunior, voltou para a pista na 450cc do pai e levou a melhora na Intermediária, na segunda colocação ficou Kevin Zanini, em terceiro veio Geraldo Neto, na quarta posição João Paulo e fechando a lista Italo Vieira.

A penúltima corrida do dia foi a 65cc que também garantiu fortes emoções para Edéia, Quem subiu no topo do pódio foi João Mauricio, seguido por Gregory Motta, em terceiro Alexandre Galdino, o quarto foi José Arantes e o quinto Athos Paulo.

Para fechar o dia e a sétima etapa rolou a classe MX1 em sua segunda bateria já que ela abriu as competições do domingo e quem venceu mais uma vez de ponta a ponta foi Gustavo Pessoa que não deu chance para os demais e levou a melhor na categoria principal, em segundo ficou Frederico Spagnol, na terceira posição veio Heber Tomaz, em quarto ficou Kioman Navarro e em quinto PV Cunha.

Agora o campeonato segue para a cidade de Paraúna GO nos dias 11 e 12 de novembro para sua 8ª etapa mais uma vez com a cobertura completa do site Show Radical.

A prova com realização da Prefeitura Municipal teve a supervisão da Federação de Motociclismo de Goiás e CBM e organização do MotoClube GP, tem o patrocínio de Pneus Rinaldi, IMS Racing, Mobil, Circuit, Motogol/Honda, Avant Motos/Kawasaki, Protork, Supermercado Real, Posto Real, Rapozão Racing, Cleidmar Racing, Moto Livre Shop, Fink, Sistemas Automotivos, Morais Troféus, Goias Tendas, Medcomerce, Compleite, Proesporte, SEDUCE e Governo de Goias.

Texto e Fotos: Tiago Lopes – Show Radical