Gama Cidadão | O Seu Portal de Notícias e Cidadania

Sex01202017

Last updateSeg, 09 Jan 2017 9am

Portuguese Arabic English French German Japanese Spanish

Gama realiza ação social em Lar dos Velhinhos um dia antes da decisão

Após encerrar a preparação para a grande final com um treino recreativo e comemoração pelo aniversário do meio Lenílson, que completa 34 anos, a delegação da SEG foi pega de surpresa. Ao seguirem para a concentração houve um desvio de rota, pois uma ação social programada pela cúpula do clube estava organizada no Lar dos Velhinhos Bezerra de Menezes, localizado na cidade de Sobradinho. 
 
Chegando ao local, os jogadores receberam dos organizadores Walter Teodoro e do presidente Tonhão, rosas para distribuírem para as senhoras em homenagem ao dia das mães, que está próximo. Segundo Teodoro, esse foi um momento de carinho que os atletas proporcionaram às senhoras. "Viemos aqui não para ser somente mais um ponto positivo na concentração de vocês para a final, mas sim para homenagear o dia das mães, pois nesse momento muitas delas estão longe", ressaltou.
 
Entre os atletas a emoção era visível, todos interagiam com as senhoras com destaque para Galhardo, que demonstrou muito carinho pela oportunidade dessa visita "Estou grato ao clube, pois essa ação voltada para o dia das mães me trouxe a lembrança da minha", disse o atleta.
 
Logo após a ação solidária, o grupo seguiu para um hotel no centro da Capital Federal onde se concentra para a segunda partida da decisão do Candangão, frente ao Brasília, neste sábado (2), às 16h30, no Mané Garrincha.
 
Fonte: Dani Pança - Assessoria SEG

Brasília busca goleada para tirar o título das mãos do Gama

Vitória do Verdão no jogo de ida por 3 a 0 garante vantagem gigantesca para o Periquito Verde

Brasília, DF, 01 (AFI) – O sábado será de festa colorada ou alviverde na capital do Brasil. Brasília e Gama fazem a grande final do Campeonato Brasiliense neste sábado, às 16h30, no estádio Mané Garrincha. Com uma vitória expressiva no jogo de ida por 3 a 0, o Gama está muito próximo de conquistar mais um título.

Somente uma vitória por mais de três gols tira a taça da mão do Periquito Verde. Qualquer vitória do Brasília por até dois gols de diferença ainda garante o título ao Gama. Uma vitória do Colorado pelo mesmo placar do jogo de ida levará a decisão para os pênaltis.

O passado, porém, garante um fio de esperança ao Brasília. Na história dos 101 confrontos entre Brasília x Gama, as duas equipes já venceram por placares elásticos. O Gama já venceu o Brasília por 5 a 0 por duas vezes, em 1985 e 2001 ambas no Bezerrão. Porém, o Colorado do DF já ganhou dos gamenses por 7 a 2, em 1984 no estádio Pelezão. Wander marcou duas vezes para o Colorado.

Com relação ao público a expectativa era da presença de mais de 40 mil torcedores. Entretanto, uma reunião foi realizada nesta quinta-feira ficando decididos que serão colocados à venda somente 27 mil ingressos. Caso a procura seja intensa, então uma nova carga de ingressos será disponibilizada. A partida está sendo anunciada com transmissão ao vivo em televisão aberta, pela emissora detentora dos direitos do campeonato. No primeiro jogo, vitória do Gama por 3 a 0, pouco mais de 8.300 torcedores estiveram presentes no estádio Nacional Mané Garrincha.

Fonte: Futebol Interior - 01/05/2015

 

Torcedor do Gama não vê a hora de gritar "campeão" após 12 anos

A cidade está mobilizada para empurrar o time ao título

O orgulho voltou. Essa única frase explica o sentimento vivido pelo torcedor do Gama desde o início do Candangão deste ano. O título ainda não veio, visto que resta uma partida da decisão diante do Brasília para ser disputada.

Mesmo assim, já é possível notar uma diferença sensível, sobretudo em relação não só à torcida do Alviverde, mas também em relação à comunidade do Gama, que não vê o time levantar o caneco local desde o já distante ano de 2003. 

Em dia de jogo, alguns metros depois do Viaduto do Periquito já é possível perceber o clima que vive a cidade: faixas anunciam a partida mais próxima, com o intuito de encher o Bezerrão para apoiar o time. A cena se repete mais algumas vezes em outros pontos da cidade. Pelo visto, tem dado certo. A prova é que a torceda do Gama têm crescido a cada rodada do Candangão. As cores verde e branco também predominam na cidade.

Felicidade dos jogadores

Para quem representa o time dentro das quatro linhas, o sentimento de satisfação é enorme. 

Para alguns jogadores, que conhecem a paixão do torcedor há mais tempo, a alegria em ver sorrisos é ainda mais intensa.

“Estou feliz primeiro por estar vestindo a camisa do Gama novamente. Ficou aquele gostinho de ‘algo mais’. Só tenho a agradecer a todo respeito, apoio e confiança do torcedor gamense, que sempre me tratou bem”, comemora o volante Tiago Gaúcho. Ele, inclusive, esteve presente no elenco que chegou à final do Candangão pela última vez, em 2011, ficando com o vice-campeonato.

Memória

Goleada no Pelezão

O Brasília sabe que, no sábado, precisará superar um grande desafio para conquistar o Candangão 2015.

O time enfrenta o Gama necessitado de três ou mais gols de diferença para levantar o caneco.

Para tanto, o time pode se apegar a um feito semelhante, ocorrido no estádio Pelezão, palco de jogos memoráveis no cenário candango e que foi demolido para dar lugar a um complexo imobiliário.

Em 1984, o Colorado bateu o Alviverde por incríveis 7 x 2. O destaque foi Wander, que marcou dois gols.

Sentimento de dever cumprido

O presidente do Gama, Antônio Alves do Nascimento Neto, o Tonhão, não tem dúvidas de que o planejamento de sua equipe foi fundamental para que o time voltasse a disputar a decisão do Candangão após hiato de quatro anos.

Vale ressaltar que foi o Gama o primeiro time a iniciar os treinamentos visando o Candangão – as atividades começaram em novembro do ano passado. Antes disso, uma excursão para a Europa, onde o Alviverde enfrentou times do Velho Continente, começou a desenhar a cara do time que disputaria o torneio local neste ano. 

Esta viagem, inclusive, foi o “start” da chamada “Família Gama”, como os jogadores insistem em chamar o grupo. Mas, já durante a montagem do elenco, um fator foi fundamental para que o foco não se perdesse em meio a outros “interesses”.

“Já tínhamos uma base depois da excursão para a Europa. Depois, os jogadores foram escolhidos um a um. O nosso foco era analisar o passado dos atletas. Quem tivesse o passado ligado a bebedeiras, festas e coisas do tipo, não fazia parte do perfil”, revela o mandatário do Alviverde.

“Medalhões” deram certo

Corroborando com a tese de Tonhão, os jogadores mais experientes do grupo têm sido importantes na caminhada do Gama rumo ao 11º título da competição local.

Baiano, por exemplo, deixou o Brasiliense, onde era uma das referências, para ter papel semelhante no Alviverde candango. Outro atleta que viveu grande fase no futebol paulista e agora integra o elenco alviverde é o meia Lenilson. Ele, por exemplo, marcou um gol contra o Brasília, logo na estreia pelo Periquito.

Por que não pensar mais longe?

O fato de ter encerrado o jejum que já durava quatro anos e alcançado a decisão do Candangão deu ao Gama a vaga em mais duas competições em 2016: a Copa Verde e a Copa do Brasil.

Caso levante o caneco diante do Brasília, no sábado, o Alviverde ainda garantirá um lugar na Série D deste ano, certame que a equipe não disputa justamente desde 2011, quando caiu ainda na primeira fase. Com isso, o presidente do Gama já começa a pensar no futuro de seu time, visto que, pelo menos em 2016, o trabalho será muito maior do que neste ano.

O discurso, porém, é de respeito aos adversários e de pés no chão, visto que o Brasília tem o histórico de reverter placares em partidas de mata-mata.

“Nosso planejamento era de montar um time para ser campeão candango. Ainda não posso dizer que estamos com as duas mãos na taça, mas uma, eu garanto que estamos, sim. Agora, temos que pensar no futuro. Por exemplo, tenho alguns jogadores que são meus, outros que não vão mais ter contratos. Começa uma outra fase para nós”, sentencia o presidente, sem esconder a satisfação de ver que o projeto iniciado em 2014 tem dado frutos.

Fonte: Jornal de Brasília - 30/04/2015 às 07:36:15

Gama goleia e abre boa vantagem em busca da 11ª taça do Candangão

Seja sócio Gama Fidelidade! Aposte na Timemania!

Uma chuva torrencial no centro da Capital Federal na tarde deste sábado (25), mas não impediu o apoio da torcida Gamense ao Maior da Capital na vitória por 3x0 do Gama sobre o Brasília. Grampola, Hériclis e Daniel Ferreira fizeram a alegria da massa verde estádio Nacional Mané Garrincha.
 
O JOGO
O maior clássico do DF começou estudado e por se tratar de uma final de campeonato, o jogo foi pegado. Logo aos 3 minutos, Baiano bateu cruzado, o goleiro Arthur soltou e Miracema marcou, mas o tento foi anulado pela arbitragem. O colorado também atacava e chegava pelos lados do campo, enquanto o Gama era mais organizado atacava de forma contundente, porém o primeiro tempo acabou mesmo no 0x0.
 
Os últimos 45 minutos foram emociantes para a galera gamense que com seus mais de 9 mil torcedores empurraram a plenos pulmões o Alviverde. Aos 2 minutos, Grampola invadiu a área e bateu com muito perigo para o gol vermelho. O Gama pressionava muito e foi coroado com o gol aos 16' minutos, após escanteio batido por Hériclis, num bate rebate Grampola empurrou de cabeça a bola na rede, verdão 1x0. O gol deu a tranquilidade devida para construir o placar, com o contra ataque à disposição, aos 27' em uma grande jogada de Hériclis pela direita, a bola bateu na defesa e sobrou novamente para o meia que fuzilou o gol adversário, 2 a 0. O terceiro Miracema tocou para Daniel Ferreira, que com categoria chutou por cima do goleiro Arthur, Gamão  3x0.
 
Com a vitória, o Gama tem a vantagem para o segundo jogo da final podendo perder por até dois gols de diferença.
 
GAMA
André Ferlini; Dudu Gago, Pedrão, Gusttavo Henrique e Rafinha; Lucas Judvan, Baiano e Hériclis (Lenílson); Formiga (Daniel Ferreira), Miracema e Grampola (Tiago Gaúcho). Téc.: Gilson Granzotto
 
BRASÍLIA
Arthur; Fernando, André, Índio e Makeka; Pedro Ayub, Willian, Clécio e Hérveton; Michel Platinini. Téc.: Luis Carlos
 

Fonte: Silas Monteiro - Assessoria SEG

Gama pronto para a primeira partida da final do Candangão frente ao Brasília

Seja sócio-torcedor Gama Fidelidade! Aposte na Timemania!

Na manhã desta sexta-feira (24), no CT Ninho do Periquito, com portões fechados para imprensa e torcedores, Gilson Granzotto finalizou o trabalho com o elenco visando a partida de ida da final do Candangão 2015.
 
Após o bate papo ao centro do campo principal do Ninho, um treino recreativo foi realizado entre os jogadores. O desfalque da equipe titular será o goleiro Pereira, que sofreu o terceiro cartão amarelo e cumpre suspensão automática. O técnico Gilson salientou a importância desse momento que o clube está vivendo. "É um momento especial para todos nós. Chegou a hora, jogar uma final no Mané Garrincha, temos que executar tudo aquilo que foi trabalhado ao longo da campanha. Tenho total confiança nesse grupo, é altamente capacidade, temos que ser um time centrado nesse jogo", finalizou.
 
Gama x Brasília se enfrentam neste sábado (25), às 16h30, no estádio Nacional Mané Garrincha. Sócio Gama Fidelidade poderá retirar o ingresso na loja oficial do clube, a Gama Store. Torcedores comuns podem adquirir a entrada na Bilheteria Digital (ou pelo site: www.bilheteriadigital.com) e na Gama Store.
 
Fonte: Silas Monteiro - Assessoria SEG

Gama e Brasília farão duelo da melhor defesa do campeonato contra o melhor ataque

O atacante Giba é dos principais responsáveis pelo ataque colorado

img

Gama e Brasília farão duelo da melhor defesa do campeonato contra o melhor ataque, a partir deste sábado, pela final do Candangão 2015. 

O Periquito levou apenas oito gols em 14 jogos, uma média inferior a 0,6 por partida, enquanto o Colorado anotou 21 tentos no mesmo número de aparições em campo, uma média de 1,5 por confronto.

Na primeira fase, o Verdão não foi vazado em cinco oportunidades, três delas contra os semifinalistas do campeonato. Na sexta rodada, inclusive, derrotou o adversário da decisão por 1 x 0, no estádio Bezerrão. A partir das quartas, porém, fugiu à suas características e levou gol em três dos quatro jogos que disputou. O alento é que o ataque balançou as redes quatro vezes.

O time de vermelho, por sua vez, deixou de marcar em apenas duas partidas da etapa pré­mata-mata: na derrota para o Periquito e em um empate contra o Luziânia, na terceira rodada. Nas fases seguintes, o Brasília manteve a ofensividade: fez cinco gols nos dois triunfos diante do Paracatu e dois diante do Azulino goiano.

Chances nas bolas paradas

Quando a bola rolar no Mané Garrincha, para as duas partidas que definirão o campeão da cidade em 2015, o Gama sabe que não poderá desperdiçar as chances que tiver. O fato de enfrentar uma equipe que sabe se fechar e pouco cede durante as vezes em que entra em campo, são repetidos quase que como mantras entre o elenco do Periquito.

Sendo assim, um dos caminhos para o gol pode ser com as bolas paradas. Foi assim, inclusive, que o Alviverde conseguiu bater o Colorado no único encontro entre as duas equipes, no primeiro turno, no Bezerrão. Um chute de Lenilson selou o resultado positivo.

“Temos que aproveitar as chances que tivermos, caprichar muito na hora de finalizar. O time deles não dá mais do que duas ou três chances”, pondera o volante gamense Baiano.

Tirando dos ricos para dar aos pobres

Apesar dos bons números, a defesa gamense também deve ser motivo de preocupação, especialmente por sua faceta “Robin Hood”. A equipe cedeu gols e pontos para os adversários mais frágeis. Contra os times mais fortes, porém, o goleirão Pereira não teve de buscar a bola no fundo da meta. Além disso, a equipe somou quatro derrotas até o momento, contra apenas uma do Brasília.

Na primeira fase, o time verde poderia, inclusive, ter terminado com a melhor campanha, o que lhe daria a vantagem de jogar por dois resultados iguais na decisão, mas uma derrota, na última rodada antes das quartas, estragou tudo. Segundo pior ataque do campeonato, o Cruzeiro venceu por 1 x 0 no Bezerrão, permitindo ao Colorado roubar a liderança.

Curiosamente, o desempenho do Gama contra os times mais tradicionais é impressionante: não foi vazado, na primeira fase, por nenhum dos quatro melhores ataques. Contra Brasiliense, Brasília, Ceilândia e Luziânia, a atuação defensiva foi perfeita. 

Revivendo rivalidade de antigamente

O discurso no Brasília é de respeito pelos adversários. Jogadores do setor defensivo do atual vice-campeão candango sabem que o Alviverde representa uma verdadeira ameaça à retaguarda do time vermelho e branco.

Mesmo assim, o goleiro Artur demonstra confiança para os encontros contra o Gama, que definirão o campeão local em 2015, reeditando a rivalidade dos anos 1970.

“Espero dois jogos muito pegados. Para qualquer ataque, temos de ter atenção desde o começo do jogo”, ressalta o arqueiro.

Fonte: Jornal de Brasília - 23/04/2015 às 07:01:00     Atualização: 23/04/2015 às 08:54:03

 

 

Portal Gama Cidadão