A menos de três dias das eleições aconteceu o último debate entre os dois candidatos ao governo do DF, Jofran Frejat (PR) e Rodrigo Rollemberg (PSB). O debate foi realizado pela Rede Globo Brasília e o Gama Cidadão esteve lá para acompanhar.

img

Com um debate mais coeso entre os dois candidatos, os ataques pessoais foram reduzidos a quase zero. Apesar do Frejat e do Rollemberg terem subido o tom nas últimas semanas, sempre que puderam, na noite de ontem as propostas prevaleceram. Isso proporcionou realizar uma discussão a nível mais alto.

O candidato do PR, Jofran Frejat, continuou insistindo na redução da tarifa do transporte coletivo para R$ 1. Já Rodrigo Rollemberg do PSB preferiu centrar-se no combate à burocracia e nas eleições diretas para administradores regionais.

O debate ocorreu de forma mais tênue e apenas quando Frejat perguntou a Rollemberg quais eram suas objeções à tarifa de R$ 1 é que deu a impressão de que iria esquentar. Rollemberg respondeu dizendo porque considerava essa proposta inviável economicamente. Ele se diz a favor da tarifa zero, mas salientou que ainda não é possível implementar tal proposta. Com um tom de crítica Rollemberg declarou: “Essa proposta, da tarifa de R$ 1, foi feita de forma irresponsável, eleitoreira. O candidato diz que o IPVA vai ser usado, mas esqueceu que já está comprometido com educação e saúde. Diz também que ia mudar a destinação do IPVA por decreto. Como ex-parlamentar, deveria saber que não é possível.” E ainda complementou, “afirmam por aí que, caso a tarifa fosse realmente implementada, o Buriti precisaria aumentar impostos.”

Frejat rebateu o argumento e garantiu que existe total viabilidade de implantação da passagem a 1 real. Alegando inexperiência e falta de conhecimento de Rollemberg, Frejat reforçou que em nenhum momento se disse que o IPVA iria ser mudado, mas sim que a tarifa vai ser de 1 real a partir do primeiro dia de seu governo. Frejat afirmou quenão há nada de complicado, pois foi calculado. Frejat ainda disse mais, queo IPVA está sendo usado hoje para pagar cabide de emprego e haverá só um remanejamento. “Tenho certeza de que a tarifa vai ser implantada”, concluiu.

No decorrer do debate, quando Rodrigo Rollemberg trouxe a proposta de eleições diretas para administrador, o adversário “deu o troco”. Frejat disse que para a execução de tal proposta, primeiro precisa mudar a Constituição e a lei. Ele questionou sobre a dificuldade que o GDF teria para lidar com as administrações caso o projeto fosse implantado. Lembrou também que a nossa constituição não permite que o Distrito Federal tenha municípios. Frejat concluiu dizendo:“Imagine que você escolhe um administrador por eleição. Se ele comete um malfeito, como tirar, a não ser pela Justiça? Para Frejato que pode ser feito nesse sentido é colocar um conselho para escolha dos administradores regionais e que os mesmos devem ter aptidão para a função e serem moradores da cidade.Por fim Frejat terminou esse assunto dizendo em tom de crítica: “Na verdade, essa sim é uma proposta eleitoreira, para levar a população a acreditar que eleição vai ser possível.”

Em resposta, Rollemberg do PSB garantiu que será elaborado um formato coerente. Afirmou que, “ainda na transição, vamos ouvir moradores, associações comerciais. Vamos iniciar o debate e a Câmara Legislativa para construir o melhor modelo. Vamos mudar a lei e cumprir a Lei Orgânica.”

No decorrer do debate, também houve discordâncias quando Frejat lembrou a participação do PSB no governo Agnelo. Para ele, houve traição ao deixar o governo, após Rollemberg indicar dois secretários. Frejat ainda atacou dizendo que, o fato do candidato do PSB ter estado com Lula, Dilma, Marina e agora com Aécio, foi um ato de traição ao partido que o elegeu. Ainda disse que Rollemberg deveria era ajudar a melhorar as coisas quando nada está indo bem. Alegou que isso deve ser inexperiência ou falta de compromisso do candidato do PSB.  

Rollemberg ironizou o adversário, dizendo que os cabos eleitorais de Agnelo estariam pedindo votos para Frejat e explicou a decisão do partido de sair do governo. “Estou filiado há 30 anos no PSB e nunca participei do governo. Nessa eleição, decidimos seguir um caminho, com coerência, sempre ao lado da população”, declarou.

Dentro os temas abordados no debate, a mobilidade urbana ganhou maior destaque quando a Região Metropolitana foi colocada em pauta. A proposta de implantação do trem de passageiros na linha férrea já existente que vem de Luziânia foi defendida  pelos dois, assim como já vinha acontecendo desde o primeiro turno. Esse é um projeto antigo que a população vem aguardando pelo seu desfecho. É interessante observar que ambos os candidatos tenham esse pensamento em comum.

Com relação a essa proposta do Trem, Rollemberg ainda foi mais longe e falou, pela primeira vez, em criar outra rota partindo da Rodoferroviária e chegando até Águas Lindas, em Goiás.

img img

O debate contou com a presença da imprensa local e Gama Cidadão esteve presente. Ao final do debate os dois candidatos puderam falar com a imprensa. O Gama Cidadão perguntou ao Rodrigo Rollemberg se após eleito vai continuar com as rodas de conversa que já vem fazendo com a população. Ele respondeu firmemente que sim, irá continuar mantendo esse canal de diálogo com a população. A mesma pergunta foi feita ao candidato Jofran Frejat que se mostrou surpreso com a pergunta e também afirmou que irá sempre ter um diálogo mais próximo com a população.


A corrida do Segundo Turno

Os eleitores do DF voltam às urnas no próximo dia 26 para o segundo turno da disputa para governador. Os candidatos Rodrigo Rollemberg (PSB) e Jofran Frejat (PR) se credenciaram para a segunda fase da eleição no último dia 5. O candidato do PSB recebeu 45,23% dos votos válidos, contra 27,96% do candidato do PR.

Conhecendo um pouco mais de cada candidato

O senador Rodrigo Rollemberg tem 55 anos e nasceu no Rio de Janeiro em 13 de julho de 1959. Veio para a capital federal com 1 ano. O candidato do PSB é formado em história pela Universidade de Brasília (UnB) e está filiado ao partido desde 1985.

Eleito deputado distrital em 1995, assumiu a Secretaria de Turismo do governo de Cristovam Buarque no ano seguinte. Concorreu ao Buriti pela primeira vez em 2002.

Em 2004, foi nomeado secretário nacional de Inclusão Social do Ministério de Ciência e Tecnologia, no governo Lula. Rollemberg foi eleito deputado federal em 2006. Depois do primeiro mandato, se candidatou a senador em 2010 e também foi eleito.

Jofran Frejat tem 77 anos e é nascido em Floriano, no Piauí. Ele foi escolhido candidato pelo PR depois que José Roberto Arruda renunciou, após sucessivas derrotas na Justiça.

Frejat chegou ao DF em 1963, logo após se formar médico no Rio de Janeiro. Na capital federal, ele foi quatro vezes secretário de Saúde, diretor do Instituto Médico Legal e secretário-geral do Ministério da Previdência.

Em 1987 foi eleito pela primeira vez deputado federal, cargo que ocupou por cinco mandatos. Frejat iniciou a vida política no PFL (atual DEM) e passou também pelo PP, PPB e PTB, antes de se filiar ao PR, em 2007.

Da redação do Gama Cidadão por Lucas Lieggio

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar