Ex-candidato disse que não impôs condições e que espera 'bom governo'

Deputado Federal Izalci Lucas (PSDB), Rodrigo Rollemberg (PSB), deputado distrital Raimundo Ribeiro (PSDB) e Luiz Pitiman (PSDB) em reunião na sede do PSDB em Brasília

O PSDB de Brasília declarou apoio à candidatura de Rodrigo Rollemberg (PSB) no segundo turno da corrida ao governo do Distrito Federal. A decisão foi anunciada após reunião da Executiva do partido na manhã desta terça-feira (14)...

O anúncio foi feito pelo deputado distrital eleito pela legenda, Raimundo Ribeiro. Durante o pronunciamento, ele disse que a decisão foi tomada porque os dois partidos concordam sobre a necessidade de mudança no país. “Essa [é a ] aliança que as ruas construíram e que os líderes dos nossos partidos conseguiram captar muito bem. Hoje nós sabemos que o PSB e o PSDB estarão juntos para resgatar o Brasil e resgatar o DF.”

O candidato do partido no primeiro turno, Luiz Pitiman, disse que 90% da legenda haviam apoiado a decisão inicialmente, mas que os 10% que optaram pela neutralidade ou pelo apoio a Jofran Frejat (PR) acabaram acatando o desejo da maioria.

Segundo Pitiman, não houve imposição de condições para firmar o apoio ao PSB e que quer apenas que o candidato faça um "bom governo", caso seja eleito. "Optamos então entre os dois candidatos e ficamos com Rodrigo Rollemberg porque entendemos que traduz essa mudança e alcança o projeto da boa gestão pública."

O candidato Rodrigo Rollemberg agradeceu o apoio do PSDB, concordou que os partidos têm ideias em comum e afirmou que pretende fazer uma "revolução" no governo, com uma gestão que "garanta um combate rigoroso à burocracia e à corrupção".

"Nós estamos convencidos que a burocracia é um instrumento da corrupção. A burocracia cria dificuldades pra vender facilidades", afirmou.

Durante o discurso, o candidato falou sobre medidas que pretende tomar, caso seja eleito. “Nós queremos aqui criar um ambiente de empreendedorismo e de inovação, que estimule os empreendedores a criar o próprio negócio, que outras empresas venham para o DF, constituindo um ambiente de desenvolvimento”, disse.

Ele também prometeu criar um conselho de transparência, no segundo dia de mandato, “composto exclusivamente por entidades da sociedade civil para acompanhar as contas de governo”. Rollemberg falou em mudar as relações políticas do DF, acabando com o loteamento de cargos, o que chamou de “toma lá da cá”.

Apoios a Frejat

Concorrente de Rollemberg na disputa pela chefia do Executivo local, o candidato Jofran Frejat (PR) recebeu o apoio de três partidos na semana passada. PTdoB, PHS e PEN saíram da base aliada do governador Agnelo Queiroz para contribuir na campanha do ex-secretário de Saúde.

Os líderes dos três partidos afirmaram ao G1 que não foram procurados pela campanha do PSB, e que rejeitavam a declaração de Rollemberg de que "não faria acordos que impliquem em participação no governo".

Também na última semana, partidos como PT e PMDB, líderes do atual governo, declararam neutralidade e não vão participar do segundo turno com apoio a nenhuma das candidaturas. O PSOL adotou postura semelhante.

Fonte: Portal G1 DF. Foto: Dayane Oliveira/G1 - 14/10/2014 - - 21:08:45