Gama Cidadão | O Seu Portal de Notícias e Cidadania

Dom01222017

Last updateSab, 21 Jan 2017 6pm

Portuguese Arabic English French German Japanese Spanish

Com 51 milhões de votos, Aécio Neves sai das urnas líder da oposição

A conquista de 51 milhões de votos torna o tucano um nome de peso nacionalmente e uma das maiores forças contra o PT

img
Ao agradecer os eleitores, ao lado da mulher, Letícia, o senador diz que deixa a disputa com o sentimento de ter feito o 'bom combate' e cumprido sua missão

Com a maior votação obtida pelo PSDB em corridas presidenciais, Aécio Neves encerrou a disputa ontem com discurso breve, em que prega a união do país depois da disputa mais acirrada da história. O tucano mais competitivo desde que o PT assumiu o Palácio do Planalto, quase 12 anos atrás, sai das urnas com o capital político assegurado por 51 milhões de votos. Antes mais conhecido no Sudeste, ele se consolida como liderança nacional.

“Cumprimentei agora há pouco, por telefone, a presidente reeleita e desejei a ela sucesso na condução de seu próximo governo. E ressaltei que considero que a maior de todas as prioridades deve ser unir o Brasil em torno de um projeto honrado e que dignifique a todos os brasileiros”, disse no discurso, pouco depois da oficialização do resultado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O mineiro sai da campanha fortalecido no partido. Numericamente, a maior votação recebida pelo PSDB em uma corrida presidencial havia sido no segundo turno de 2010, quando José Serra conquistou 43,71 milhões de votos, contra 55,75 milhões de votos da presidente Dilma Rousseff (PT). Este ano, a vitória mais significativa ocorreu em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, onde Aécio recebeu quase o dobro de votos de Dilma. Foram 15,2 milhões, contra 8,4 milhões da petista.


Fonte: Correio Braziliense - 27/10/2014 06:07

Rodrigo Rollemberg é eleito novo Governador do DF

Está definido como novo governador do Distrito Federal Rodrigo Rollemberg (PSB), com 55,56%. O seu adversário, Jofran Frejat (PR) teve 44,44% dos votos.

img

O DF tem 1.935.041 eleitores, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral. Número equivale a 1,3% do eleitorado nacional. No primeiro turno, Rollemberg registrou 45,23% dos votos válidos, o que equivale a 692.855 eleitores. Já Frejat somou 27,97% dos votos, um total de 428.522.

Senador desde 2011, Rodrigo Sobral Rollemberg, 55 anos, é casado com Márcia Helena Gonçalves Rollemberg e tem três filhos. Filiado ao PSB desde 1985.

Senador pelo Distrito Federal desde 2010, Rollemberg (PSB) concorreu pela coligação "Somos Todos Brasília" (PSB, SD, PDT e PSD). O vice na chapa é o servidor público Renato Santana (PSD).

Nascido no Rio de Janeiro, em 1959, Rollemberg foi distrital por dois mandatos (1998 e 2006). Pessebista já esteve à frente da secretaria de Turismo, Lazer e Juventude no governo de Cristovam Buarque no DF, e da secretaria de Inclusão Digital, no Ministério da Ciência e Tecnologia, durante gestão do ex-presidente Lula.

No Senado, Rollemberg integrou as comissões de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA); Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT); Assuntos Econômicos (CAE); e Assuntos Sociais (CAS); além de presidir a Comissão Especial de Modernização do Código de Defesa do Consumidor. Hélio José da Silva Lima é suplente no senado de Rollembeg e assumirá o cargo pelos próximos quatro anos.

Rollemberg disputou sua primeira eleição em 1990, concorrendo ao cargo de deputado distrital. À época, ele não se elegeu. Em 1994, disputou para o mesmo cargo e alcançou sua primeira suplência, assumindo o mandato eventualmente pelas licenças do titular Wasny de Roure. Em 1998, foi eleito efetivamente deputado distrital.

Em 2002, concorreu ao cargo de governador do DF e ficou em terceiro lugar. Em 2006, foi eleito deputado federal com 55.917 votos. Em 2010, elege-se senador, juntamente com Cristovam Buarque (PDT), com 738.575 votos (33,03% dos votos válidos).

Um político que sempre buscou estar em contato direto com o povo, Rollemberg tem suas rodas de conversa como esse instrumento de interação entre o político e a população. Ainda enquanto Senador pelo DF Rollemberg veio tendo essa importante iniciativa. Esporadicamente, ele se reunia com a população do DF para ter um momento de “prosa” e manter um contato direito com o povo.

img

Durante a realização de uma das reuniões do Acorda Gama em 2013, Rodrigo Rolemberg esteve presente para ouvir o a população tinha a dizer. Veja mais aqui.

Durante a campanha, as rodas de conversa se tornaram ainda mais intensas, passando por todas as cidades do DF.

Toda essa interação com o eleitor e suas propostas, foram fundamentais para sua vitória.

Da redação do Gama Cidadão


Leia mais: Rodrigo Rollemberg e as rodas de prosa

DILMA REELEITA

Resultado em Minas Gerais impulsionou vitória da petista sobre o tucano Aécio Neves na mais apertada disputa desde 1989; candidata do PT perdeu a eleição em São Paulo

dilma

Na disputa presidencial mais acirrada desde o segundo turno das eleições de 1989, Dilma Rousseff (PT) é reeleita presidente do Brasil. Com vitória apertada em Minas (52,4% dos votos), a petista perdeu em São Paulo: teve 35%, ante 64% de Aécio Neves (PSDB).


Pela 3ª vez seguida, brasileiros dão novo mandato a um presidente. Neste domingo (26), a petista derrotou o tucano Aécio Neves (PSDB) em uma das mais disputas mais apertadas.

No primeiro turno, Dilma teve quase 43,268 milhões de votos, ou 41,6% do total de válidos. Aécio recebeu 34,897 milhões de votos, ou 33,5%. Dilma largou atrás na corrida pelo segundo turno, segundo pesquisas eleitorais, mas virou na última semana, ficando à frente do tucano desde segunda-feira (20).

Pesquisa Datafolha finalizada neste sábado (25) colocava Dilma à frente com 52% dos votos válidos, contra 48% de Aécio. Durante quase toda a segunda etapa das eleições os dois permaneceram empatados na margem de erro, de dois pontos percentuais.

O governo Dilma Rousseff é aprovado por 44% dos eleitores, segundo o Datafolha. O percentual é mais que o dobro daqueles que desaprovam seu governo: 19% o consideram ruim ou péssimo, enquanto 36% o avaliam como regular.

A taxa de aprovação de Dilma é inferior aos 52% que o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tinha ao final de seu primeiro mandato, em 2006, mas superior ao índice de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em 1998, quando o tucano foi reeleito à Presidência.

Dilma também fica no meio dos dois ex-presidentes entre aqueles que desaprovaram os respectivos governos. Lula terminou seu primeiro mandato com rejeição de só 14%, contra 25% que diziam ser o governo FHC ruim ou péssimo.

Lula terminou seu segundo mandato, em 2010, com a melhor avaliação da história e conseguiu fazer sua sucessora. Em 2010, 83% dos eleitores consideravam sua gestão ótima ou boa.

Após a gestão Lula, 84% dos brasileiros achavam que o país estava melhor do que antes. Naquele ano, a rejeição ao governo do petista atingia só 4% dos eleitores, e 13% o avaliavam era regular.

Com Fernando Henrique ocorreu o oposto. Ele encerrou seus oito anos na Presidência, em 2002, com aprovação de só 26%, índice inferior ao do primeiro mandato, embora 35% dissessem em 2002 que o Brasil estava melhor do que oito anos antes.

A rejeição ao tucano, na ocasião, alcançava 36% dos brasileiros, e ele não conseguiu fazer seu sucessor. Mesmo assim, FHC saiu do governo em melhor situação do que José Sarney (1985-1990) e Fernando Collor de Mello (1990-1992), que deixou o Planalto após o impeachment com apenas 9% de aprovação.

Itamar Franco, com 41%, também finalizou seu período na Presidência (1992-1994) melhor que FHC, que foi seu ministro da Fazenda na implantação do Plano Real e eleito na sequência. O mineiro, no entanto, havia sido eleito presidente, já que assumiu após Collor deixar o cargo.


Fonte: Folha de São Paulo 26/10/2014 20h07

Frejat agradece aos 600 mil votos recebidos e parabeniza Rollemberg

FrejatPouco mais de 20 minutos depois de Rodrigo Rollemberg (PSB) ter sido eleito governador do Distrito Federal, seu adversário, Jofran Frejat (PR), falou com a imprensa sobre o resultado das eleições. Ele agradeceu os 600 mil votos recebidos e parabenizou Rollemberg. "Com apenas 40 dias de campanha, conquistei essa quantidade de votos. Espero que o próximo governo seja voltado para os mais necessitados", declarou

Frejat, que chegou ao comitê por volta das 17h40, disse não acreditar que o PR fará oposição ferrenha ao novo governador e afirmou que o seu desempenho foi notável, visto que saiu de 5% das intenções de votos nas primeiras pesquisas e chegou no segundo turno.

A vice de Frejat, Flávia Arruda, também  está no local desde às 18h, acompanhada do marido, José Roberto Arruda. "Agora, vamos viver um momento de serenidade e desejar que os candidatos eleitos façam o melhor para o Brasil e para Brasília", destacou o ex-governador.

Fonte: Correio Braziliense 26/10/2014 17:54

Rodrigo Rollemberg é eleito governador do Distrito Federal com mais de 55% dos votos

A apuração foi a primeira ser concluída no Brasil. Jofran Frejat teve pouco mais de 44,4% dos votos

Rodrigo Rollemberg

O Distrito Federal elegeu um novo governador. Pelos próximos quatro anos, Rodrigo Rollemberg, que foi matematicamente eleito com 55,57% dos votos e 94% das urnas apuradas, vai comandar a capital do país. O candidato concorrente, Jofran Frejat, teve 44,43%. O resultado da eleição foi o primeiro a ser concluído no país. Os correligionários de Rollemberg estão reunidos no NET Live Brasília, no Setor de Clubes Sul, para comemorar a vitória do ex-senador.

Após a saída de José Roberto Arruda da corrida pelo GDF, Rollemberg assumiu a liderança nas intenções de voto no primeiro e no segundo turno. No primeiro turno, venceu em 21 das 20 zonas eleitorais do Distrito Federal e teve 45% dos votos válidos. A maior parte das pesquisas também davam certa a vitória do candidato do PSB.

Na campanha do segundo turno, Rollemberg reafirmou que o resultado do primeiro foi por causa do plano de governo feito junto à população.  "Tenho certeza que nosso programa de governo expressa o desejo de mudança da população", disse, na época, em discurso no comitê central da coligação PSB, PDT, PSD e Solidariedade, no Setor Comercial Sul.

Em recente sabatina promovida pelo Correio Braziliensee a TV Brasília, Rollemberg afirmou que pretende criar um Conselho de Transparência nos primeiros dias de seu governo caso saísse vitorioso da disputa pelo Palácio do Buriti. "Vamos reunir entidades da sociedade civil e oferecer à população do DF a possibilidade de acompanhar de perto toda a execução orçamentária do governo. Cada contrato, cada pagamento estará disponível", garantiu.


Perfil

Nascido no Rio de Janeiro em 13 de julho de 1959, Rodrigo Rollemberg  chegou à capital aos nove meses de idade com a família e, por isso,  considera-se brasiliense. Essa é, aliás, uma das principais defesas de  sua campanha: a de Brasília ser governada, pela primeira vez, por alguém  daqui. O candidato do PSB cresceu na cidade que o acolheu, estudou nas  escolas públicas da 106, da 107 e da 206 Sul e ingressou na Universidade  de Brasília (UnB), onde cursou história. Foi na instituição o primeiro  contato com a política. Participou do movimento estudantil e fez parte  do Diretório Central dos Estudantes (DCE). Lá, também conheceu a mulher,  Márcia Helena Gonçalves Rollemberg, com quem tem três filhos.  Recentemente, a família aumentou, com a chegada da primeira neta do  casal, Mel.

Rollemberg tem 13 irmãos. Dos tempos de menino,  guarda até hoje o hábito de reunir os parentes. A casa da mãe, na Asa  Sul, virou um refúgio, ainda mais durante a campanha. Serviu também de  ponto de apoio para o candidato almoçar e tomar um banho entre um  compromisso e outro da agenda atribulada. “Passar o fim de semana juntos  é muito precioso. O auge é quando vamos todos para a fazenda”, revelou a  esposa. Ela entrega também alguns hábitos do marido. “Ele acorda muito  cedo todos os dias, entre as 5h30 e as 6h. E gosta de caminhar. Aonde  vamos, ele sai andando. Não consegue ficar parado”, brincou. Religioso,  Rollemberg sempre mantém uma vela acesa em frente às imagens de santos  que tem em casa e faz uma oração antes de sair. Entre as paixões, estão o  futebol e o Botafogo.

O candidato do PSB teve, dentro de casa, o  exemplo da vida pública. É filho do ex-ministro e ex-deputado federal  Armando Leite Rollemberg. Aos 26 anos, Rodrigo entrou para o Partido  Socialista Brasileiro (PSB) e coordenou por dois anos o segmento jovem. A  partir daí, o caminho foi natural até a primeira disputa política. Em  1990, concorreu a uma vaga na Câmara Legislativa. Sem sucesso, assumiu a  suplência quatro anos depois. Em 1996, foi convidado para ocupar a  secretaria de Turismo, Lazer e Juventude do DF no governo de Cristovam  Buarque. Também teve dois mandatos de deputado federal e um como  senador, cargo que ocupa atualmente. Na esfera nacional, assumiu a  Secretaria de Inclusão Social, do Ministério de Ciência e Tecnologia.

Entre  os aliados, Rollemberg é visto como uma pessoa carinhosa e cuidadosa.  “Ele sabe que tenho problema com labirinto e não posso andar na parte de  trás do carro. Toda vez que íamos a algum compromisso de campanha  juntos, fazia questão que eu fosse na frente. Também teve um carinho  muito grande enquanto estive hospitalizado”, contou o deputado federal  José Antônio Reguffe, eleito para o Senado. Os dois se conheceram  durante a campanha de Cristovam Buarque em 1994, quando Rollemberg  tentava uma vaga na Câmara Legislativa. Também é elogiado pela atenção  que dá aos colegas da política e por saber ouvir sugestões. “Ele assumiu  alguns compromissos na campanha que considero muito importantes, como o  corte de 60% dos cargos comissionados e a retirada dos impostos locais  dos remédios”, citou Reguffe.

Durante a trajetória política, o  candidato participou da CPI da Grilagem. São deles as ideias de criar o  Projeto Orla e a abertura dos monumentos de Brasília para visitação  enquanto foi secretário. Durante o tempo em que trabalhou no Ministério  de Ciência e Tecnologia, criou a semana Nacional de Ciência e Tecnologia  e as Olimpíadas de Matemática das escolas públicas. “Ele se destaca na  obstinação pela bandeira de seu projeto. Tem experiência e não deixará  Brasília voltar para a vergonha que já passamos com governos anteriores,  nem a decepção que está atualmente”, defendeu o senador Cristovam  Buarque.

Com informações de Ataide de Almeida Jr., Thaís Paranhos e Almiro Marcos

Fonte: Correio Braziliense - 26/10/2014 17:41

TSE: 293 crimes e 66 prisões até o começo da tarde

imgBrasília, 26/10/2014 - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registrou 293 crimes eleitorais até às 12h27 (de Brasília). Desse total, 66 levaram a prisões. Nenhum deles, no entanto, era candidato. A maior parte das irregularidades foi classificada como divulgação de propaganda, com 94 ocorrências. O maior número de prisões ocorreu no Rio de Janeiro, onde 13 pessoas foram detidas, cinco por divulgação de propaganda, quatro por boca de urna, um por usar carro de som e três por crimes classificados como "outros" e não especificados no boletim do TSE. O Rio de janeiro é também a unidade da federação com o maior número de crimes eleitorais, com 62 casos.

São Paulo, o maior colégio eleitoral do País, registrou apenas seis ocorrências, com uma prisão por boca de urna. Minas Gerais é a segunda unidade da federação com o maior número de crimes eleitorais, registrando 48 casos até o momento. Desse total, dez terminaram em prisão.

No primeiro turno, ocorrido em 5 de outubro, o TSE registrou 3.186 crimes eleitorais, sendo que 1.362 deles levaram à detenção de eleitores. A irregularidade mais comum foi a de boca de urna, que levou a 906 presos no País e a 572 ocorrências sem detenção. (Victor Martins - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.)

Fonte: Estadão conteúdo - 26/10/2014

Agnelo apoia a reeleição de Dilma e confirma ter anulado voto para governador

O atual governador foi à urna às10h30, era o oitavo da fila e justificou o voto nulo por não confiar em nenhum dos candidatos ao Governo do DF.

ptOito segundos foram suficientes para que Agnelo confirmasse na urna de votação o apoio a candidata Dilma (PT), e a desaprovação a ambos candidatos ao Governo do Distrito Federal. Em se tratando de governado, ele afirma ter votado nulo por não confiar em nenhuma das opções disponíveis, Rodrigo Rollemberg (PSB) e Jofran Frejat (PR). "Estou deixando que a população decida o que é melhor para Brasília. Quanto à Dilma, minha escolha é para que a gestão continue melhorando", afirma Agnelo.
Nos próximos dias, o governador deve escolher os integrantes da comissão de transição do governo. Após deixar o cargo, ele diz que vai tirar férias com a família: "Me entreguei totalmente ao meu governo e tenho férias acumuladas". Ele acredita estar entregando uma cidade organizada, com todos os serviços funcionando e muito melhor do que a recebeu e diz esperar que, daqui quatro anos, o próximo governador faça o mesmo.

Fonte: Correio Braziliense - 26/10/2014 11:07

Ultima sabatina dos candidatos ao GDF Rollemberg e Frejat

A menos de três dias das eleições aconteceu o último debate entre os dois candidatos ao governo do DF, Jofran Frejat (PR) e Rodrigo Rollemberg (PSB). O debate foi realizado pela Rede Globo Brasília e o Gama Cidadão esteve lá para acompanhar.

img

Com um debate mais coeso entre os dois candidatos, os ataques pessoais foram reduzidos a quase zero. Apesar do Frejat e do Rollemberg terem subido o tom nas últimas semanas, sempre que puderam, na noite de ontem as propostas prevaleceram. Isso proporcionou realizar uma discussão a nível mais alto.

O candidato do PR, Jofran Frejat, continuou insistindo na redução da tarifa do transporte coletivo para R$ 1. Já Rodrigo Rollemberg do PSB preferiu centrar-se no combate à burocracia e nas eleições diretas para administradores regionais.

O debate ocorreu de forma mais tênue e apenas quando Frejat perguntou a Rollemberg quais eram suas objeções à tarifa de R$ 1 é que deu a impressão de que iria esquentar. Rollemberg respondeu dizendo porque considerava essa proposta inviável economicamente. Ele se diz a favor da tarifa zero, mas salientou que ainda não é possível implementar tal proposta. Com um tom de crítica Rollemberg declarou: “Essa proposta, da tarifa de R$ 1, foi feita de forma irresponsável, eleitoreira. O candidato diz que o IPVA vai ser usado, mas esqueceu que já está comprometido com educação e saúde. Diz também que ia mudar a destinação do IPVA por decreto. Como ex-parlamentar, deveria saber que não é possível.” E ainda complementou, “afirmam por aí que, caso a tarifa fosse realmente implementada, o Buriti precisaria aumentar impostos.”

Frejat rebateu o argumento e garantiu que existe total viabilidade de implantação da passagem a 1 real. Alegando inexperiência e falta de conhecimento de Rollemberg, Frejat reforçou que em nenhum momento se disse que o IPVA iria ser mudado, mas sim que a tarifa vai ser de 1 real a partir do primeiro dia de seu governo. Frejat afirmou quenão há nada de complicado, pois foi calculado. Frejat ainda disse mais, queo IPVA está sendo usado hoje para pagar cabide de emprego e haverá só um remanejamento. “Tenho certeza de que a tarifa vai ser implantada”, concluiu.

No decorrer do debate, quando Rodrigo Rollemberg trouxe a proposta de eleições diretas para administrador, o adversário “deu o troco”. Frejat disse que para a execução de tal proposta, primeiro precisa mudar a Constituição e a lei. Ele questionou sobre a dificuldade que o GDF teria para lidar com as administrações caso o projeto fosse implantado. Lembrou também que a nossa constituição não permite que o Distrito Federal tenha municípios. Frejat concluiu dizendo:“Imagine que você escolhe um administrador por eleição. Se ele comete um malfeito, como tirar, a não ser pela Justiça? Para Frejato que pode ser feito nesse sentido é colocar um conselho para escolha dos administradores regionais e que os mesmos devem ter aptidão para a função e serem moradores da cidade.Por fim Frejat terminou esse assunto dizendo em tom de crítica: “Na verdade, essa sim é uma proposta eleitoreira, para levar a população a acreditar que eleição vai ser possível.”

Em resposta, Rollemberg do PSB garantiu que será elaborado um formato coerente. Afirmou que, “ainda na transição, vamos ouvir moradores, associações comerciais. Vamos iniciar o debate e a Câmara Legislativa para construir o melhor modelo. Vamos mudar a lei e cumprir a Lei Orgânica.”

No decorrer do debate, também houve discordâncias quando Frejat lembrou a participação do PSB no governo Agnelo. Para ele, houve traição ao deixar o governo, após Rollemberg indicar dois secretários. Frejat ainda atacou dizendo que, o fato do candidato do PSB ter estado com Lula, Dilma, Marina e agora com Aécio, foi um ato de traição ao partido que o elegeu. Ainda disse que Rollemberg deveria era ajudar a melhorar as coisas quando nada está indo bem. Alegou que isso deve ser inexperiência ou falta de compromisso do candidato do PSB.  

Rollemberg ironizou o adversário, dizendo que os cabos eleitorais de Agnelo estariam pedindo votos para Frejat e explicou a decisão do partido de sair do governo. “Estou filiado há 30 anos no PSB e nunca participei do governo. Nessa eleição, decidimos seguir um caminho, com coerência, sempre ao lado da população”, declarou.

Dentro os temas abordados no debate, a mobilidade urbana ganhou maior destaque quando a Região Metropolitana foi colocada em pauta. A proposta de implantação do trem de passageiros na linha férrea já existente que vem de Luziânia foi defendida  pelos dois, assim como já vinha acontecendo desde o primeiro turno. Esse é um projeto antigo que a população vem aguardando pelo seu desfecho. É interessante observar que ambos os candidatos tenham esse pensamento em comum.

Com relação a essa proposta do Trem, Rollemberg ainda foi mais longe e falou, pela primeira vez, em criar outra rota partindo da Rodoferroviária e chegando até Águas Lindas, em Goiás.

img img

O debate contou com a presença da imprensa local e Gama Cidadão esteve presente. Ao final do debate os dois candidatos puderam falar com a imprensa. O Gama Cidadão perguntou ao Rodrigo Rollemberg se após eleito vai continuar com as rodas de conversa que já vem fazendo com a população. Ele respondeu firmemente que sim, irá continuar mantendo esse canal de diálogo com a população. A mesma pergunta foi feita ao candidato Jofran Frejat que se mostrou surpreso com a pergunta e também afirmou que irá sempre ter um diálogo mais próximo com a população.


A corrida do Segundo Turno

Os eleitores do DF voltam às urnas no próximo dia 26 para o segundo turno da disputa para governador. Os candidatos Rodrigo Rollemberg (PSB) e Jofran Frejat (PR) se credenciaram para a segunda fase da eleição no último dia 5. O candidato do PSB recebeu 45,23% dos votos válidos, contra 27,96% do candidato do PR.

Conhecendo um pouco mais de cada candidato

O senador Rodrigo Rollemberg tem 55 anos e nasceu no Rio de Janeiro em 13 de julho de 1959. Veio para a capital federal com 1 ano. O candidato do PSB é formado em história pela Universidade de Brasília (UnB) e está filiado ao partido desde 1985.

Eleito deputado distrital em 1995, assumiu a Secretaria de Turismo do governo de Cristovam Buarque no ano seguinte. Concorreu ao Buriti pela primeira vez em 2002.

Em 2004, foi nomeado secretário nacional de Inclusão Social do Ministério de Ciência e Tecnologia, no governo Lula. Rollemberg foi eleito deputado federal em 2006. Depois do primeiro mandato, se candidatou a senador em 2010 e também foi eleito.

Jofran Frejat tem 77 anos e é nascido em Floriano, no Piauí. Ele foi escolhido candidato pelo PR depois que José Roberto Arruda renunciou, após sucessivas derrotas na Justiça.

Frejat chegou ao DF em 1963, logo após se formar médico no Rio de Janeiro. Na capital federal, ele foi quatro vezes secretário de Saúde, diretor do Instituto Médico Legal e secretário-geral do Ministério da Previdência.

Em 1987 foi eleito pela primeira vez deputado federal, cargo que ocupou por cinco mandatos. Frejat iniciou a vida política no PFL (atual DEM) e passou também pelo PP, PPB e PTB, antes de se filiar ao PR, em 2007.

Da redação do Gama Cidadão por Lucas Lieggio

Eleições: Dilma com o 22

“Não queremos Rollemberg”

imgMuito material com a defesa do voto em Dilma e Frejat tem sido distribuído na rodoviária do Plano Piloto. 

Com tiragem de 2 milhões de exemplares, os panfletos são impressos com o CNPJ da coligação Com a força do povo, de Dilma Rousseff. 

Cabos eleitorais de Frejat se surpreenderam e tentaram entender. ...

Os petistas foram claros: “Não queremos Rollemberg”

Fonte: Correio Braziliense. Por ANA MARIA CAMPOS - 22/10/2014 - - 07:22:33

Deputada Celina Leão representa contra a professora Sandra Leite Teixeira

img 
A deputada Celina Leão (PDT) representa contra a professora Sandra Leite Teixeira no Ministério Público, no Conselho de Educação, na Comissão de Ética da Câmara Legislativa e na Delegacia da Mulher. A decisão da parlamentar veio depois que a professora agrediu verbalmente um grupo de jovens militantes do PSDB. O episódio foi registrado em vídeo, que circula nas redes sociais.
A mulher vai aos extremos contra uma jovem, branca e loira. Além de acusações contra o candidato à presidência Aécio Neves (PSDB). A professora cospe no grupo e insulta a jovem: “loirinha feia, loirinha de merda, deve ser puta. Vagabunda e puta! ”, gritava Sandra Leite e ameaçava: “Se vier vai apanhar, xô daqui!”.

A educadora foi candidata a deputada distrital pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB), na ocasião militava pela reeleição da presidente da Republica Dilma Rousseff (PT).

Para Celina Leão o que aconteceu foi uma afronta à democracia. “Vivemos em um país democrático, onde a liberdade de expressão é garantida. A professora mostrou sua intolerância com atitudes que devem ser banidas, como a discriminação racial, a calúnia e a afronta à liberdade de expressão. Um episódio lamentável para uma educadora, por isso vamos buscar as instancias legais para que fatos desta natureza não voltem a acontecer”, declara a deputada.

Fonte: Assessoria de comunicação de Deputada Celina Leão - 19/10/2014

 

Nota de esclarecimento da FUNED: Dilma apelou de forma absurda com Aécio

A presidente afirmou que governo Aécio incluiu “vacina para cavalo” como despesa de saúde

imgEstá bombando nas redes sociais a acusação de Dilma contra Aécio no debate de domingo, o da Rede Record, de que seu governo em Minas Gerais incluiu vacinas para cavalo como despesas médicas.

A acusação foi indireta, mas inequívoca, por meio da leitura de uma declaração de um conselheiro do Tribunal de Contas de Minas Gerais que, como vocês verão abaixo, não tinha definitivamente a menor ideia do assunto de que tratava.

Nem vou comentar a baixaria tenebrosa da presidente. Veja a verdade sobre o caso

Basta que vocês leiam o que diz a respeito nota oficial da Fundação Ezequiel Dias (Funed), a fábrica de remédios do governo de Minas Gerais: ...


Nota de esclarecimento da FUNED

“Em relação à contestação da candidata do Partido dos Trabalhadores no debate realizado na Rede Record no último dia 19 de outubro, que questionou a inclusão de despesas com Vacina para Equinos como gasto em Saúde, conforme teria sido apontado por um Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, esclarecemos que:

A Fundação Ezequiel Dias é um dos 04 (quatro) produtores nacionais de soros antitóxicos. Atualmente, toda a produção de soros do país passa em algum momento pela FUNED, através de um processo de produção compartilhada entre os laboratórios oficiais, autorizado pela ANVISA,

Para cumprir com esta importante missão, mantém uma Fazenda Experimental em Betim, onde são criados 129 equinos (número atual).

O processo de produção dos soros inicia-se na extração do veneno dos animais peçonhentos e, posterior, inoculação nos cavalos para produção de anticorpos.

Posteriormente, parte do plasma destes animais é extraído e processado, de modo a gerar o produto final (soro).

Mensalmente são produzidos 1.200 litros de plasma, possibilitando uma produção anual exclusiva da FUNED de cerca de 150.000 doses/ano.

Em função da manutenção da qualidade dos produtos, a FUNED mantém um programa profilático e vacina todos os equinos da Fazenda São Judas Tadeu com a vacina tríplice.

Esta vacina protege contra Influenza Equina, Encefalomielite Equina e Tétano. A recomendação técnica preconiza a revacinação de todo o rebanho anualmente.

Sendo assim, a vacinação em questão É ESSENCIAL para a geração de um produto de saúde, sendo portanto compreendida como gasto em saúde.

A afirmação feita pela candidata é infeliz, pois demonstra ou um uso inadequado da informação para fins eleitorais ou um desconhecimento do Sistema Nacional de Saúde, em especial de um processo tão crítico para o país, para o qual a FUNED, um laboratório de Minas Gerais, tem sido o grande parceiro estratégico do Ministério.

Cabe ressaltar que é devido a atuação da FUNED na produção compartilhada que está sendo possível a manutenção dos estoques e a garantia do sucesso do Programa Nacional de Imunização e da saúde da população brasileira.”

Fonte: Revista Veja. Por RICARDO SETTI - 21/10/2014 - - 00:52:43

Jofran Frejat apresenta propostas de governo no DF Record

img

Jofran Frejat apresenta propostas de governo no DF Record

Assista à Entrevista:

Fonte: DF Record - 20/10/2014 às 21h36

Roda de Conversa do Rollemberg em Santa Maria e Gama

img
Foto da Roda de Conversa em Santa Maria

Nos dias 17 e 18/10 o candidato ao GDF, Rodrigo Rollemberg (PSB), conversou com moradores de Santa Maria e Gama. Esse encontro faz parte da Roda de Conversa que o candidato vem realizando por todo DF.

Em um ambiente bem descontraído os moradores da Santa Maria fizeram muitas perguntas ao candidato. O tema, investimentos futuros para cidades, foi o forte da Roda de Conversa. Os presentes cobraram, também, dialogo com o próximo governo para resolver os problemas da cidade. “A maior sabedoria de um bom governador é saber ouvir. O governador que tem a capacidade de ouvir acerta muito mais”, afirmou Rollemberg.

Rodrigo Rollemberg falou sobre a falência que se tornou as Administrações Regionais, que acabam ficando a serviço dos deputados e não da comunidade. Segundo o candidato a comunidade vai participar da escolha dos Administradores no seu governo.

 

img
Foto da Roda de Conversa no Gama

No encontro que aconteceu no Gama, Rollemberg enfatizou a importância do respeito com idoso, e dos demais segmentos da sociedade, enfatizando que vai focar recursos para esse tema. Falou, também, sobre a melhora da qualidade de vida nas cidades do DF. A respeito de medicamentos ele enfatizou que vai devolver o valor dos impostos para que as pessoas, principalmente os mais velhos, possam comprar remédios mais baratos.

Rollemberg falou, também, da importância que o gama tem em sua vida, do fato de sua esposa Márcia Helena, ter tido seu primeiro emprego na cidade, e que seu filho Italo nasceu no Gama. O quanto é importante para os gamenses a revitalização da Praça do Castelinho, do Cine Itapuã e dos Parques Prainha e Urbano Norte. Que esses espaço precisam e serão revitalizados no seu governo. Vários presentes fizeram perguntas ao candidato e uma delas foi a respeito de um boato que vem sendo divulgado por ai, de que o Agnelo apóia Rollemberg e até poderia vir a ter um cargo no governo. Rollemberg respondeu de forma firme que Não. Confirmando se tratar de mera boataria para manchar a imagem de sua campanha.

Durante sua estada no Gama, assim como fez em Santa Maria, Rollemberg falou com todos os presentes e respondeu a diversas perguntas feitas por quem esteve no encontro.

Rollemberg recebeu do segmento de CULTURA da cidade um documento com reivindicações que foi entregue por Marco Agusto e José Garcia Caianno (Dedé). A roda de conversa contou com a presença do vice da chapa Renato Santana (PSD), Senador Cristovam Buarque, Senador eleito Reguffe (PDT), Deputados distritais reeleitos Professor Israel, Celina Leão, Joe Valle e lideranças da cidade.

Clique aqui e veja a galeria de fotos.

Do Gama cidadão com a colaboração de Lucas Lieggio

Eleições: TSE intervém na baixaria e proíbe ataques do PT contra Aécio

Ministro Toffoli: “programas eleitorais gratuitos têm que ser programáticas e propositivas”

imgO Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu por 4×3 votos, nesta quinta-feira (16) que as propagandas eleitorais gratuitas em cadeia nacional de rádio e TV não podem servir para atacar pessoalmente candidato adversário, mas sim para debater propostas, e suspendeu a publicidade da candidata Dilma Rousseff (PT) de rádio. A proibição não inclui outros debates, entrevistas etc...

A propaganda, veiculada no rádio em 15 de outubro, mostra uma militante do PT, ex-presidente do sindicato dos jornalistas de Minas Gerais, acusando o candidato tucano de “ameaçar o emprego” de quem o critica. O PSDB alegou que a propaganda atingia a honra do candidato. A maioria dos ministros do TSE entendeu que o horário eleitoral gratuito tem a finalidade de apresentar propostas ao eleitor e não pode ser utilizada para ataques, menos ainda com depoimentos de terceiros.

A decisão abre precedente para que o TSE proíba todos os eventuais ataques a candidatos no horário gratuito. “Essa decisão altera jurisprudência da Corte e caminha no bom sentido de estabelecer que, nos programas eleitorais gratuitos, as campanhas têm que ser programáticas e propositivas. Tem que se reformatar isso e acabar com essa pirotecnia”, afirmou o presidente do tribunal, ministro Dias Toffoli.

O ministro Gilmar Mendes, que também defendeu suspender a propaganda, criticou a atuação de “marqueteiros” nas campanhas eleitorais. “É preciso garantir o horário gratuito sem o artifício desse marketing, que acaba por manipular, inclusive atribuindo ideias que o próprio candidato não tem.”

O ministro João Otávio de Noronha afirmou que, no caso, não houve uma questão política, mas “uma ofensa pessoal cujos passos caracterizam um crime”. Salientou que o horário eleitoral gratuito não foi feito para ataques pessoais, mas para a apresentação de programas de governo. “Não se deve gastar o dinheiro público para esse tipo de ataque”, acentuou.

Já o ministro Luiz Fux afirmou que “a Justiça Eleitoral tem que adotar uma postura de como vai admitir que esse jogo seja jogado. Não dá mais para ficar no minimalismo sem equilibrar”, considerou.

As ministras Maria Thereza de Assis Moura e Luciana Lóssio acompanharam o relator, mas também ressaltaram entender que o Tribunal deve fixar parâmetros “para uma campanha ética, que tenha um mínimo de decoro”.

Há outras duas representações do PSDB com pedido para que a candidata petista seja investigada pelos crimes de calúnia, difamação e injúria, inclusive para a alegação de que durante o mandato de Aécio como governador de Minas Gerais foram “desviados” R$ 7,6 bilhões da área de saúde.

Fonte: Diário do Poder. Foto: Roberto Jaime - 17/10/2014 - - 08:55:44

Tiririca grava vídeo de apoio a Frejat, candidato ao governo do DF; assista

IMG

Após ter colhido 1,016 milhão de votos na eleição para deputado federal no último dia 5, Tiririca (PR-SP) gravou vídeo de apoio ao candidato ao governo do Distrito Federal Jofran Frejat, também do PR. Tiririca foi o segundo candidato a deputado federal mais votado no país, atrás apenas de Celso Russomano (PRB-SP), que teve 1,5 milhão de votos.

Frejat assumiu a candidatura no DF após o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) ter barrado o então candidato José Roberto Arruda (PR), condenado com base na Lei da Ficha Limpa.

Em um vídeo publicado nesta semana nas redes sociais, Tiririca aparece nos bastidores de uma gravação em que declara apoio a Frejat. O trecho deve ser usado no horário eleitoral gratuito do candidato do PR.


Em um trecho do vídeo, Tiririca diz que o candidato do PR irá subir nas pesquisas -- no último levantamento do Ibope, ele aparece em segundo lugar, com 35% das intenções de voto, atrás de Rodrigo Rollemberg (PSB), que tem 52%.

"Vocês sabem o que é isso? É o Frejat subindo nas pesquisas", diz o palhaço, levantando-se.

Assista ao vídeo clique aqui!

Fonte: Portal Bol - 15/10/2014 11h52

Vídeo no Facebook:

 

Em enquetes, Aécio Neves derrotou Dilma no primeiro debate dos presidenciáveis

Confronto rendeu audiência considerável à emissora que o transmitiu - 14 pontos, superando série nacional da TV Globo

img

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, saiu-se melhor do que a atual presidente da República, Dilma Rousseff, candidata à reeleiçao, no primeiro debate entre os dois, realizado ontem, pela TV Bandeirantes. Ao menos, é o que pensam os leitores do Correio Braziliense e do portal UOL, em enquetes realizadas nos dois sites.

Resultado parcial da enquete com leitores do Correio sobre o desempenho no debate da TV Bandeirantes trouxe Aécio Neves (PSDB) à frente de Dilma Rousseff (PT). Para 72,9% dos leitores do Correio, Aécio Neves venceu o debate. O restante (27,03%) acredita que Dilma Rousseff saiu-se melhor. Os dados foram colhidos às 12h15 de hoje. Ainda é possível votar na enquete.

O portal UOL também promoveu a mesma enquete em relação ao debate. Às 12h15, o candidato tucano tinha 80,07% da preferência dos votantes contra quase 20% de Dilma. O debate rendeu uma audiência considerável à emissora que o transmitiu. De acordo com levantamento para avaliar o número de espectadores, a emissora chegou a liderar a audiência no país, com 14 pontos, superando uma série nacional da TV Globo.

Fonte: Correio Braziliense - 15/10/2014 13:09

Portal Gama Cidadão