Brasiliense Marcos Beto se apresenta no palco principal

A primeira edição da Campus Party em Brasília deu largada na noite de quarta-feira e reuniu milhares de pessoas ontem, em seu segundo dia, que inaugurou a Open Campus, área gratuita do evento. O dia foi de muito "networking", torneios tecnológicos e descobertas para todas as idades.

O primeiro dia reuniu 49 participantes que ministraram palestras e oficinas na Arena, principal espaço do evento. Entre os nomes mais esperados do dia estava o do norte-americano Matthew Reyes, pesquisador e empreendedor do Vale do Silício, com 17 anos de experiência em instituições como a NASA e GoPro na gerência de tecnologia. A palestra reuniu centenas de campuseros enquanto Matthew mostrou como a tecnologia do dia a dia impacta soluções espaciais e vice-versa. "São tecnologias criadas por pessoas como vocês", disse ao público.

A palestra falava de inovação, mas com referências do passado, desde os primeiros foguetes criados pela NASA, até as mais novas startups que produzem minissatélites. "Para pensar o futuro, precisamos olhar para a história. O tempo é cíclico", disse Matthew.

No segundo momento mais esperado foi a apresentação do cientista de dados Ricardo Capra. O brasileiro deu destaque para os maiores desafios da ciência de dados. "Precisamos reduzir a quantidade de dados disponíveis na rede. Existe um caos. Como posso filtrar a informação?", afirmou.

No Workshop Criatividade e Inovação, o publicitário Rodrigo Almeida falou sobre o movimento Nômade Digital (profissionais que trabalham remotamente). "É uma tendência que vem crescendo. Várias empresas grandes estão liberando o home-office.", disse.

A programação da Campus Party segue até sábado (17). Entre os nomes mais esperados ainda está o fundador do movimento de software livre, Richard Stallman, e a designer multimídia Ani liu. Para assistir ao vivo, acesse brasil.campus-party.org.

Área gratuita

A área gratuita abre para o público de Brasília todos os dias do evento, a partir das 10h, com Hackathons , simuladores de realidade virtual, torneios de robótica e drones, além de palestras sobre empreendedorismo digital e estantes de startups.

Campus Party reúne milhares em torneios e oficinas na capital.

Brasiliense Marcos Beto se apresenta no palco principal

Em 1999, na primeira Campus Party, na Espanha, o brasiliense Marcos Beto já era fã do evento, e desde lá não passou nenhum ano sem participar. Ontem, como palestrante, o empreendedor compartilhou parte de sua experiência com o estudo e tecnologia, com destaque para a plataforma MeViro.org, que conecta programadores a pessoas com deficiência, para criação de soluções de acessibilidade.

De acodo com Marcos, o principal objetivo é difundir os projetos. "Além da pessoa [deficiente] receber aquela tecnologia, o projeto vai para a plataforma para que outras pessoas tenham acesso e consigam construir também".

Para ele, em terra de concurso, a Campus é uma vitória. "É um incentivo que não tínhamos" disse.

Jornal Destak - 16/06/2017 - 10:36:17

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar