O segundo assassinato de pessoas ligadas a partidos políticos coloca em xeque as eleições municipais em Santo Antônio do Descoberto. No último domingo, o vice-presidente do Partido da República (PR) na cidade goiana, Paulino Rodrigues da Silva, 58 anos, o Pastor Paulino, morreu ao ser atingido por quatro tiros na porta de casa, no bairro Morada Nobre — as características do crime são parecidas com as do homicídio do jornalista João Miranda do Carmo, em 24 de julho (leia Memória). Além disso, ontem pela manhã, o vice-prefeito, Valter da Guarda Mirim, foi intimidado por dois homens armados.

Esses casos levaram a promotora eleitoral de Santo Antônio do Descoberto, Tarcila Britto, a preparar um ofício para encaminhar ao Tribunal Regional Eleitoral e à Secretaria de Segurança Pública de Goiás. No documento, ela narra todas as situações de prováveis crimes de motivação política e pede reforço na segurança do município distante 49km de Brasília, principalmente para as eleições de outubro. “Houve uma morte há menos de um mês nas mesmas circunstâncias. Normalmente, a violência na cidade é marginalizada, ligada a tráfico, rixas e outros. Mas, coincidentemente, está migrando para um lado político que desconhecemos”, relata. Ela também entrou em contato com o Ministério Público Eleitoral e tem apoio do procurador regional eleitoral, Alexandre Moreira.

No caso do Pastor Paulino, ele chegou a ser socorrido e levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. A vítima apoiava Estela Souza (PR), ex-mulher do atual prefeito e candidata a chefe do Executivo local no próximo pleito. Em nota divulgada no domingo, o presidente do partido em Santo Antônio do Descoberto, Francisco de Assis Pereira da Silva, demonstrou solidariedade à família e garantiu que exigirá uma apuração rigorosa e imparcial do crime. “É prematuro dar a conotação de crime político. Não sabemos com certeza por estarmos distantes dos acontecimentos. A gente acredita na Justiça”, diz o vice-presidente estadual goiano do PR, Wiris Arantes.

Fonte: Correio Braziliense
Foto: Correio Braziliense